Jornal do Brasil

Sábado, 26 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Rio

Segurança reforça efetivo com mais 1,3 mil policiais em 13 batalhões

Jornal do Brasil

Depois de utilizar pela primeira vez o Regime Adicional de Serviço para compor o policiamento para a Rio+20, a Secretaria de Segurança já tem data certa para utilizar o RAS para aumentar o efetivo em áreas que apresentam maiores índices de criminalidade e déficit de policiais. A partir de 1 de julho, 1.365 policiais militares, por dia, vão reforçar o patrulhamento ostensivo nas Zonas Norte e Oeste da capital, na Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana.

Para viabilizar o reforço em áreas abrangidas por 13 batalhões da Polícia Militar, o Governo do Estado vai investir mais de R$ 6,1 milhões por mês. A escolha das unidades contempladas levou em consideração as necessidades de efetivo, a extensão territorial e indicadores de criminalidade. 

Os policiais serão contratados pelo RAS para trabalhar em turnos de oito horas, quando estiverem de folga, recendo R$ 150 pelo serviço prestado à corporação. O policial não poderá ultrapassar 96 horas trabalhadas por mês. 

O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, destacou que o Regime Adicional de Serviço é uma medida de valorização do policial. 

– Antes o policial já era convocado para trabalhar em situações especiais e não ganhava nada a mais por isso, como aconteceu na Eco-92. Não havia reconhecimento. Agora, vamos pagar o policial que trabalhar no período de folga, como já está acontecendo na Rio+20. É uma questão de respeito, além de uma medida temporária para resolver o problema histórico da falta de efetivo – afirmou Beltrame, acrescentando que a Polícia Civil também terá reforço de agentes nas delegacias. 

A Polícia Militar abrirá inscrição, através do Boletim Interno, aos policiais que voluntariamente quiserem trabalhar em seus horários de folga. Caso o total de voluntários não seja suficiente, a PM convocará militares para completar o efetivo desejado. No entanto, o comandante-geral da PM, coronel Erir Ribeiro Filho, não acredita que isso será necessário. 

– Os policiais aprovaram o Regime Adicional de Serviço e já há até uma lista de espera – disse o comandante. 

Além de ser usado em eventos especiais – como a Rio+20, Copa e Olimpíadas – e no reforço cotidiano de policiamento, o RAS também será utilizado em eventos anuais como Réveillon e Carnaval.

 



Tags: especial, esquema, folgas, policiais, reforço

Compartilhe: