Jornal do Brasil

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Rio

Exército: traficantes não tentaram retomar o Complexo do Alemão

Durante a madrugada disparos foram filmados e população está assustada

Jornal do BrasilMaria Luisa de Melo

Depois do intenso confronto na noite desta quarta-feira (7), que assustou moradores do Complexo do Alemão, o porta-voz da Força de Pacificação, major Marcos Bouças, negou que traficantes tenham tentado retomar o conjunto de favelas que está ocupado desde novembro do ano passado.

Na ação, tiros foram ouvidos por moradores. A população local chegou a flagrar balas traçantes em vídeos. Muitos pneus também foram queimados nos principais acessos ao conglomerado de favelas. Apesar do relato de moradores, de que um grupo de traficantes chegou à favela à noite, em carros, para retomar o espaço para venda de drogas, o Exército nega tais informações.

>> Polícia Militar ordena ocupação de duas favelas do Complexo do Alemão

>> Militares encontram bombas de fabricação caseira no Complexo do Alemão

>> Ferido no Complexo do Alemão segue estável e deve receber alta

"Houve uma ação de inquietação sim, mas os traficantes não tentaram retomar o território de maneira alguma. Eles sabem que a nossa tropa é muito maior do que o grupo deles", declarou o oficial. "Já sabemos que a ação partiu dos morros do Adeus e da Baiana e a PM já ocupou as duas comunidades".

Moradores registram balas traçantes em vídeo

Atualmente, 1700 homens da Força de Pacificação policiam os complexos do Alemão e da Penha. No último, está localizada a Vila Cruzeiro, onde militares identificaram e filmaram um reduto de venda de drogas.

Nesta quarta-feira, às 11h30, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, e o comandante militar do Leste, general Adriano Pereira Junior, concedem entrevista coletiva para falar sobre os rumos da ocupação no Complexo do Alemão.

Tags: alemão, complexo, exército, traficantes

Compartilhe:

Comentários

6 comentários
  • josé eustáquio, unai

    Seria bom demais para ser verdade.Muita esmola, faz o santo desconfiar. As autoridades, passaram uma situação inexistente na sua totalidade, como sempre acontece no Brasil, na esperança de auferirem dividendos políticos.Fica a impressão de que a irresponsabilidade dos .de cima, é muito maior do que imaginamos

  • Joel Carlos de Almeida Saraiva, São Paulo

    Todos sabem, que nossas forças armadas, são preparadas para combater inimigos, principalmente aquwees que são contra a Pátria. São treinados para isso, o enfrentamento. No caso do Rio, as bases chamadas UPPs, tem como conceito, a pacificação, dos habitantes dos morros. Pacificação em quÊ? Do quê? Se lá predomina o tráfico, comandado pelos traficantes de drogas? Então, não se trata de pacificação, e sim de enfrentamento. Os enrêdos programados, as invasões cometidas, não deixam dúvidas, pois, o que vimos, foi uma verdadeira guerra entre gente do bem, contra gente do mal. Claro que existe trabalhador, cidadão honesto, que por falta de plano de habitação, vem a residir em cortiços, favelas nos morros. E talvez por isso, sofra as consequências dos ataques e confrontos, entre polícia e marginais. Como o Estado do Rio de Janeiro, anda numa ociosidade com seu poderio policial, foi necessário, pedir ajuda às forças armadas, e tropa da guarda nacional. Se estabelcermos como deve agir os bravos soldados fo Exército brasileiro, seu lugar não deveria ser subir o morro, e sim, guardar nossas fronteiras. Erros, sempre acontecem quando homens preparados para os combates na defesa de uma nação, saem de órbita, para agir em solo contra o crime comum. Excessos, mesmo que não queiram, serão cometidos, já que sua visão, é matar, para isso são treinados. Enfim, enquanto perdurar a postura armada de nossos soldados nos morros, combatendo traficantes vulgares, por certo, muitos erros serão cometidos, e mortos surgirão, dentre eles, bandidos, pessoas inocente e, talvez até, soldados.Joel Carlos de Almeida Saraiva

  • paulo cesar oliveira, são gonçalo

    Em minha opinião, tem que passar o "cerol" nessa turma. Esqueçam os direitos humanos, que hoje no Brasil, só protege bandidos. Não adianta prender, já que daqui há dias, a justiça os soltará.

  • Edson Santini, Caxias do Sul

    Esta cena não terá fim enquanto não forem mudadas as leis. Punições mais severas como prisão perpétua e até pena de morte para crimes hediondos com: tráfico, sequestro, estupro, latrocínio e corrupção.
    E também a menoridade penal deverá ser de 13 anos.

  • Napoleão Araujo, Niterói

    O exército deve ter muito cuidado em prender os delinquentes da comunidade do morro do alemão, mais tarde eles podem entrar na política e serem até presidente. E mais uma vez haverá o movimento dos familiares reclamando os desaparecidos do morro do alemão. O país será obrigado a indenizar famílias pelos seus anjinhos desaparecidos em setembro de 2011. E mais uma vez as forças armadas será sucateada, sacaneada, esculachada, menosprezada e outros tantos. Mas o resultado final será um país com fraca soberania. O território praticamente abandonado. E tavez aparecerá um outro país, para quem sabe, nos adotar. Espero que cheque rápido....

  • LUCIANO, TRÊS LAGOAS

    O EXERCITO ESTA CERTO OS TRAFICANTES NÃO TENTARÃO RETORNAR PARA O COMPLEXO DO ALEMÃO, ELES NEM SAIRAM DO COMPLEXO.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.