Jornal do Brasil

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Rio

Cerca de 650 animais silvestres são apreendidos por mês no Rio

Jornal do Brasil

Maria Luisa de Melo, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Nos primeiros sete meses deste ano, 4.589 animais silvestres vendidos em feiras clandestinas de todo o estado do Rio chegaram ao Centro de Triagem e Resgate de Animais Silvestres (Cetas), em Seropédica, na Região Metropolitana do Rio.

O número confere uma média de 655 bichos 95% são pássaros resgatados de traficantes por mês. Belford Roxo, São Gonçalo e Duque de Caxias são os locais de mais apreensões.

Em 2008, um caminhão vinha da Bahia com seis toneladas de abóbora em cima de 100 animais (950 pássaros e 50 jabutis), para escondê-los relata o analista ambiental do Cetas, Vinícius Modesto.

Segundo dados do Ibama, de cada dez bichos retirados da natureza por traficantes de animais apenas um deles sobrevive.

Já recebemos no Cetas filhotes de papagaios vendidos ilegalmente que ainda estavam sem penas e de olhos fechados. Foram retirados do ninho imediatamente após seu nascimento lamenta Vinícius o retorno ao habitat é difícil, apesar dos cuidados.

Além disso, os animais vendidos em feiras são capturados bruscamente, o que os estressa. Quando presos, se atacam.

Na última quarta-feira, chegou uma denúncia de que uma casa abrigava pássaros, fomos até o local e conseguimos apreender 55 bichos conta o Comandante do Batalhão Florestal da PM, tenente-coronel Mário Fernandes.

A punição para vendedores de animais silvestres é de multa de R$ 500 por espécime. Se estiver em extinção, o valor sobe para R$ 5 mil. O crime, porém, ainda é considerado pela Justiça como de menor potencial ofensivo.

As denúncias podem ser feitas pelos telefones 2701-0832 e 2701-8262.

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.