Jornal do Brasil

Sábado, 22 de Julho de 2017

Rio

Três mil se unem contra cobrança de taxa de iluminação pública

Jornal do Brasil

Luiz Urjais, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Luzes ligadas de dia e apagadas à noite. Deterioração de postes e má conservação de luminárias de valor histórico. Essas reclamações de moradores das ruas Almirante Alexandrina e Joaquim Murtinho, em Santa Teresa (Centro) deram origem ao Apague essa ideia, um site onde é contestada a Contribuição para Custeio da Iluminação Pública (Cosip). O movimento ganhou adesão de líderes comunitários do Méier, Leme e Leblon, que também têm queixas do serviço de iluminação pública.

O objetivo inicial era recolher assinaturas para o cancelamento da Cosip 3 mil pessoas já subscreveram mas agora os moradores de várias partes da cidade estão usando o site para denunciar falhas no serviço.

De acordo com o coordenador do site, Paulo Giffoni, um estudo apresentado pela Fecomercio mostrou que a prefeitura arrecadará cerca de R$ 21 milhões por mês com a contribuição. Segundo ele, porém, houve um excedente de quase R$ 60 milhões, em 2009, sem que melhorias fossem feitas.

Existem muitos pontos mal iluminados. Nesta quarta-feira, uma equipe realizou vistoria em Santa Teresa e atestou 24 pontos de luz, com sinais de má conservação, além de 16 acesos, às 10h. conta Giffoni. Estamos começando aos poucos, e logo teremos um diagnóstico de mais bairros na cidade.

O coordenador explica que quer recolher o máximo de assinaturas possível e, depois de diagnosticar os pontos de abandono, levar o documento à Câmara dos Vereadores.

Rio Luz responde

A assessoria da Rioluz informou que mandará uma equipe para averiguar os problemas nas ruas apontadas pelos moradores. A empresa oferece o número 2235 5151 para denúncias.

Outros relatos

Também vítimas da falta de iluminação e conservação, moradores do Méier dizem viver momentos de insegurança, nas principais vias do bairro.

Segundo o presidente da Associação de Moradores Amigos do Méier, Aníbal Antunes, até comerciantes estão reclamando da falta de iluminação nos arredores da praça Agripino Griecco, na Rua Dias da Cruz.

É algo que aumenta ainda mais a insegurança do morador, que prefere não sair de casa.

Outra denúncia foi do vice-presidente da Associação de Moradores e Amigos do Leme, Francisco Nunes. Segundo ele, pontos centrais entre a avenida Prado Júnior e a rua Duvivier também estão mal iluminados.

Compartilhe: