Jornal do Brasil

Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

Rio

Molon pede ao TCE que investigue contrato dos bondes de Santa Teresa

Jornal do Brasil

JB Online

RIO - O presidente da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio, deputado Alessandro Molon (PT), encaminhou uma representação ao Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ), nesta terça-feira, 18, pedindo uma investigação nos contratos estaduais com a empresa Trans Sistemas de Transportes SA (T'Trans), responsável pela modernização dos bondes de Santa Teresa. O parlamentar já havia feito o mesmo pedido ao Minstério Público na segunda-feira.

De acordo com o petista, uma inspeção especial precisa ocorrer no contrato, porque, segundo dados levantados pelo Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios (Siafem), o estado do Rio já teria gasto cerca de seis milhões de reais com obras de revitalização deste transporte.

- A municipalização do serviço de bondes não pode ser usada para jogar a sujeira para debaixo do tapete. É necessário que sejam apuradas as razões do acidente ocorrido domingo, assim como as denúncias de moradores de que a T'Trans não está cumprindo os prazos do contrato - ressaltou Molon.

Na manhã do último domingo, dia 16, um acidente com um dos setes veículos leves sobre trilhos (VLTs) que circulam por Santa Teresa causou a morte de uma pessoa e feriu outras dez. O bonde teve problemas no sistema de freios e começou a descer a ladeira de ré, causando pânico nos passageiros.

Amast realiza plenária

Nesta quarta-feira, dia 19, a Associação de Moradores de Santa Teresa (Amast) realizará uma plenária às 19h, na Igreja Anglicana, na Rua Paschoal Carlos Magno 95, ao lado do bar do Mineiro. Os moradores irão discutir as providências necessárias para restaurar a segurança do transporte por bondes no bairro.

Entre as reivindicações, estão: ajuda médico-hospitalar, psicológica e financeira às vítimas do acidente e a suas famílias; instauração de inquérito policial, na 7ª DP (Santa Teresa), e inquérito judicial, no Ministério Público, para investigar as causas e responsabilidades nesse acidente; retirada de circulação dos bondes modificados e realização de uma perícia independente; suspensão imediata do contrato firmado com a T'Trans para modificação tecnológica dos bondes; que o governo estadual venha a público assumir sua responsabilidade do acidente; liberação da verba prometida pelo governo do Estado para restauração dos bondes nos moldes tradicionais, na oficina do Largo do Guimarães; reintegração ao trabalho dos 36 operários da oficina do Guimarães, demitidos em 2008, pela Central Logística, cuja ausência compromete a manutenção e a segurança dos bondes.

Compartilhe: