Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Retrospectiva 2013

Retrospectiva - JMJ: Rio vive semana de fé e renovação com Papa Francisco

Jornal do BrasilAutor

O inverno carioca poucas vezes viu uma recepção tão calorosa quanto a proporcionada aos jovens peregrinos durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Entre os dias 22 e 28 de julho de 2013, a cidade se transformou numa grande babel reunindo povos de todas as raças, cores, bandeiras que, liderados pelo recém-nomeado Papa Francisco, fizeram do Rio a capital da fé e da renovação da Igreja.

Nos dias que antecederam a chegada do pontífice, a cidade já respirava ares diferentes. Ruas repletas de peregrinos dos mais variados países, com suas mochilas e sorrisos, davam conta de contaminar o clima da cidade.

>> Os índices de inflação que prometiam sair do controle

>> O processo do Mensalão no STF

>> Incêndio na boate Kiss iniciou tragédias do ano

>> Polêmicas na política

>> Manifestações de junho agitaram todo o país

>> PT deslancha e faz de 2013 o ano dos leilões

>> A derrocada do império X do ainda milionário Eike Batista

E a chegada do Papa não poderia ter sido mais emblemática. Retido no trânsito no Centro da cidade e cercado por fiéis eufóricos, Francisco literalmente se lançou nos braços do povo, enlouquecendo seguranças e comovendo a multidão. Estava dado o recado: aquela não seria uma viagem comum.

Carro do Papa é cercado por fiéis no Centro
Carro do Papa é cercado por fiéis no Centro

O contato direto com o povo foi a marca registrada do Papa no Rio. Seus discursos de improviso, sua emoção franca e o vigor de sua mensagem vieram para conquistar.

Em seu primeiro pronunciamento, no Palácio Guanabara, Francisco explicou que aprendeu como chegar ao povo brasileiro: "Pela porta do coração". E foi exatamente isso que ele mostrou ao longo daquela semana.

Após um dia de descanso, o Papa seguiu para o Santuário de Aparecida no dia 24, quando pediu aos milhares de jovens presentes que "protagonizem mudanças no mundo". No mesmo dia , à noite, inaugurou um polo de atendimento a dependentes químicos, no Rio, e mais uma vez deu seu recado: "Liberar o uso de drogas não diminui a incidência de dependentes."

Em Varginha, contato com as crianças
Em Varginha, contato com as crianças

No dia seguinte, Francisco visitou a comunidade de Varginha, em Manguinhos, Zona Norte do Rio, onde novamente fez questão de ficar em contato direto com o povo. Entrou em uma das casas para conversar com a família e, em seu discurso assistido por fiéis emocionados, pediu: "Vocês, queridos jovens, possuem uma sensibilidade especial diante das injustiças. Muitas vezes se desiludem com a corrupção, com pessoas que, em vez de buscar o bem comum, procuram o seu próprio benefício. Repito: nunca desanimem. Não percam a confiança. Não deixem que se apague a esperança. O homem pode mudar. Procurem praticar o bem. A igreja está ao seu lado".

Milhões de pessoas se reuniram em Copacabana
Milhões de pessoas se reuniram em Copacabana

O cancelamento devido às fortes chuvas dos eventos em Guaratiba, onde seria feita a peregrinação, transformou Copacabana no palco principal dos mais significativos encontros da JMJ. Milhões tomaram as areias num espetáculo de fé jamais visto. "A festa foi inesquecível", escreveu o próprio pontífice no Twitter.

No dia 27, artistas, autoridades e representantes da sociedade tiveram um encontro com Francisco no Theatro Municipal. Walmyr Júnior - colunista do Jornal do Brasil e integrante da Pastoral da Juventude no Rio - foi escolhido para representar a sociedade civil e, num discurso emocionado, lembrou a sua trajetória e a de muitos jovens de comunidades carentes: "Tinha tudo para ser mais um jovem exterminado pela violência. Sempre presenciei o tráfico de drogas, que usava o jovem como mão de obra barata. Quando experimentei droga pela primeira vez, senti na pele as dificuldades, mas superei ao receber o apoio de minha paróquia e decidi reescrever minha história", disse, antes de dar um abraço emocionado no Papa.

Walmyr Júnior, colunista do 'JB', abraça o Papa
Walmyr Júnior, colunista do 'JB', abraça o Papa

Mais uma vez em Copacabana, palco de encerramento da JMJ, Francisco reforçou seu discurso para os jovens: "O futuro vai chegar através de vocês. Peço que sejam construtores do futuro. Não sejam covardes. Jesus não ficou preso dentro de um casulo”, pediu.  "Ide sem medo para servir. "É uma ordem, sim, mas que não nasce da vontade de domínio ou de poder, mas nasce da força do amor", afirmou Francisco. O tom de estímulo à ação e à ousadia continuou na despedida: “Nadem contra a corrente e se rebelem contra a cultura do provisório”, disse, em discurso enfático para milhares de voluntários, no Riocentro.

Após uma semana de fortes e emoções e imagens inesquecíveis durante a Jornada Mundial da Juventude, no Rio, Papa Francisco se despediu dos brasileiros no domingo (28), na Base Aérea do Galeão mostrando, mais uma vez, todo o seu carisma, simplicidade e docilidade: "Parto com a alma cheia de recordações felizes. Neste momento, já começo a sentir saudades. Saudades do Brasil e do seu povo de grande coração, amoroso."

Tags: 2013, jornada, papa, peregrino, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.