Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Abril de 2017

Cultura - Programa

Crítica: 'Dois coelhos'

Jornal do BrasilJuliana de Paiva

Dois coelhos chega aos cinemas essa sexta-feira com o intento de provar que o gênero “ação” pode ser alavancado no Brasil e popularizar-se dentro do cinema nacional. Em termos de efeitos especiais, supercâmeras lentas ou animações em 3D, estamos bem abastecidos: não faltam explosões, tiroteios, tampouco personagens nascidos de desenhos (que interagem com os de carne e osso) para comprovar o nível, ouso dizer, “hollywoodiano” da produção. Mas não é apenas isso que vai surpreender e atrair o público aos cinemas.

O filme conta com elenco e trama excelentes. Há bastante suspense quanto aos personagens, suas funções e relacionamentos dentro do enredo, e, assim, estamos longe de qualquer onisciência enquanto espectadores, pois todas essas informações se renovam até que termine a projeção. Na história, Edgar (Fernando Alves Pinto, de Nosso Lar) é um anti-herói moderno, em seus 30 e de classe média, que elabora um plano mirabolante para tentar consertar erros do passado. Edgar quer fazer justiça com as próprias mãos e, para tanto, escolhe sujá-las em meio à corrupção estatal e o crime organizado - daí surge o nome do filme, já que o personagem pretende se livrar tanto de problemas pessoais quanto, como cidadão revoltado, dos relacionados ao contexto social e político em que se insere. Também estão no elenco Alessandra Negrini, Caco Ciocler e o rapper Thaíde.

'Dois coelhos' une narrativa e linguagem inovadoras para o cinemabrasileiro
'Dois coelhos' une narrativa e linguagem inovadoras para o cinemabrasileiro

Afonso Poyart, que estreia com a direção e roteiro do longametragem, busca dialogar com o público jovem no filme ? e deverá conseguir. Poyart aproveitou-se, como inspiração, do trabalho de Quentin Tarantino, um dos diretores mais pops da cultura cinematográfica atual. Contamos com ferramentas muito exploradas por este diretor, como a cronologia fragmentada, que dinamiza e muito o filme, pitadas de humor negro estrategicamente distribuídas, além de diversas cenas de violência - que têm a ver também com outra inspiração, a série de jogos GTA (Grand Theft Auto), muito popular na faixa etária em questão.

Resta saber se o grande público brasileiro vai digerir bem toda a dinamicidade que esta história proporciona desde os primeiros segundos de filme. Poyart e equipe definitivamente se lançaram o desafio e poderão (hesito em dizer “ou não”), tal qual afirma o protagonista, “matar dois coelhos com uma ‘caixa d’água’ só” com a união de uma narrativa e linguagem inovadoras para o cinema brasileiro.

Cotação: *** (Ótimo)

>> Locais em que o filme está em exibição entre 17 e 23 de fevereiro  

Zona Sul: Estação Sesc Botafogo 2: 15h10. 

>> Programação de Cinema completa de 17 a 23 de fevereiro  

Tags: Brasileiro, cinema, criminos, dois coelhos, edgar, justiça, longa, salas

Compartilhe: