Jornal do Brasil

Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Cultura - Programa

As melhores exposições da cidade - 4 a 10 de novembro

Jornal do BrasilJulia Moura

-- EXTRA --

ÁFRICA HEREDITÁRIA-INTERATIVA / BATE- PAPO E HISTÓRIAS - O tema é um convite à reflexão, por meio de jogos, dramatizações e contações de histórias, sobre o continente africano. O público participa como personagem das narrativas. A atividade complementará algumas visitas monitoradas da exposição África-Brasil: Ancestralidade e Expressões Contemporâneas. Informações e inscrições: 3261-2567, 3261-2552, educativo.ccjf@trf2.gov.br. Grátis (mediante agendamento por telefone). Até 4 de dezembro. Mais informações sobre a exposição abaixo 'Em cartaz'

AMÉRICA LATINA, ARTE E INTERNACIONALIZAÇÃO - O crítico cubano Gerardo Mosquera realiza palestra. Fundador da Bienal de Havana, curador de exposições em diversos países, e autor de vários livros, Mosquera integra conselhos de importantes museus, centros de artes e revistas especializadas. A Casa Daros convidou Gerardo Mosquera, aproveitando sua passagem pelo Brasil, a dar uma palestra no Rio de modo a que se compartilhasse com o público o pensamento e a trajetória deste brilhante crítico e curador. Luiz Camillo Osorio, professor do Departamento de Filosofia da PUC Rio e curador do MAM Rio, colaborou para a realização deste encontro.  A palestra será feita em espanhol. PUC-Rio, Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea. Grátis. Capacidade: 120 pessoas. 2ª, 7 de novembro, das 16h às 19h.

DIA NACIONAL DA CULTURA / FOLIA NO RIO ANTIGO - Além da tradicional Feira Rio Antigo, a Rua do Lavradio, haverá shows de samba, tango, MPB, oficinas, exposição e venda de artesanato. O Encontro de Folias de Reis apresenta três grupos que levarão o festejo de origem portuguesa à região. A concentração acontece às 14h30 na Rua do Lavradio – entre a Rua do Riachuelo e Avenida Mem de Sá e o cortejo segue pela Rua do Lavradio com apresentação às 17h, na Praça Tiradentes. O Grupo Scenarium Musical se apresenta às 15h, na Praça Emilinha Borba, na Rua do Lavradio; Grupo Pagode do Arruda, às 13h, em frente ao número 53 da Rua do Senado; MPB com Elza Ribeiro, às 15h30, em frente ao número 28 da Rua do Rezende; Multibloco, às 17h, na Praça Emilinha Borba, entre outros. Na Praça Tiradentes, haverá o Show Circense com Trio de Palhaços Família Cherem, às 11h. No mesmo local, estão programados Oficina de Artesanato, ao meio dia; Cia Teatral José de Alencar, às 13h; Estudantina Musical, às 14h; Companhia de Dança CCC, às 16h; Orquestra Petrobrás Sinfônica, às 18h; Bateria Fina Batucada, às 19h; Homenagem a Nelson Cavaquinho, com Dani Spielmann e Áurea Martins, às 20h, além de feira de artesanato o dia inteiro e outras atrações. Também está programada uma Oficina de Bonecos, ao meio dia, na Praça Emilinha Borba, na Rua do Lavradio. Centro do Rio Antigo. Grátis. Sáb., 5 de novembro, das 10h às 20h.

EU ANDO DE BONDE - Em homenagem ao Dia Nacional da Cultura, Cocco Barçante expõe os painéis "Sentimentos do Rio" e atelier aberto. Polo Novo Rio Antigo, Praça Tiradentes. Sáb., 5 de novembro, das 9h às 18h.

Em homenagem ao Dia Nacional da Cultura, Cocco Barçante faz exposição 'Eu ando de bonde' 
Em homenagem ao Dia Nacional da Cultura, Cocco Barçante faz exposição 'Eu ando de bonde' 

ÍNDIA! - A mostra explora os mais diversos aspectos desse país multifacetado por meio de quase 400 peças em uma viagem pelos últimos dois mil e duzentos anos de história. É a maior exposição de cultura indiana já realizada no País, com obras pertencentes ao Museu de Arte Asiática de Berlim (Alemanha), ao Museu Rietberg de Zurique (Suíça), ao Museu Nacional de Etnologia de Leiden (Holanda) e a coleções particulares, além de fotografias antigas, itens de arte popular e de arte contemporânea cedidos por artistas e instituições privadas na Índia. Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., das 10h às 21h. Grátis. Até 29 de janeiro. 

'Índia - lado a lado' reúne pintura, escultura, instalação, fotografia e vídeo
'Índia - lado a lado' reúne pintura, escultura, instalação, fotografia e vídeo

ÍNDIA - LADO A LADO, sob curadoria de Tereza de Arruda, reúne pintura, escultura, instalação, fotografia e vídeo de 18 artistas e dois coletivos, todos vivendo na Índia e atuando internacionalmente. A mostra é parte do evento ÍNDIA! Instalados em 900 m2 do CCBB, os cerca de 40 trabalhos selecionados, inéditos no Brasil, expressam momentos distintos da cultura indiana ligados a questões históricas, sociais, econômicas, urbanísticas, entre outras, encobertas por narrativas em parte lúdicas e cotidianas, impregnadas de resolução estética marcante. Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., das 10h às 21h. Grátis. Até 29 de janeiro. 

FINALISTAS PRÊMIO PIPA 2011 - André Komatsu, Eduardo Berliner, Jonathas de Andrade e Tatiana Blass concorrem a R$ 100 mil, incluindo uma residência na prestigiosa instituição Gasworks, de Londres, que será conferido pelo Júri de Premiação. Os artistas concorrem ainda a R$ 20 mil, dados pelo Voto Popular, categoria na qual quem vota é o público visitante da exposição. O vencedor do prêmio do Voto Popular será anunciado no dia 24 de outubro de 2011, e o vencedor do PIPA 2011, no dia 27 de outubro de 2011. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. R$8. R$ 4 para estudantes maiores de 12 anos e para maiores de 60 anos. Grátis para amigos do MAM e crianças até 12 anos. Domingos ingresso família, para até 5 pessoas: R$8. Até 13 de novembro. 

MERIDIANOS - Dez artistas latino-americanos se encontram no Rio para falarem de suas trajetórias. Os artistas conversam em duplas – um brasileiro e um estrangeiro – em encontros abertos ao público. Os encontros acontecem entre 4 de maio e 29 de novembro em locais diversos. A Casa Daros e o Oi Futuro apresentam o encontro aberto ao público dos artistas Vik Muniz e Leandro Erlich. Ambos têm trabalhos na Coleção Daros Latinamerica, sediada em Zurique, que reúne 1.100 obras, de 106 artistas, e irão conversar sobre seu trabalho. Confira aqui a programação completa

PROJETO RESPIRAÇÃO - Criado em 2004, o projeto consiste em convidar artistas contemporâneos para intervir no circuito expositivo da Fundação Eva Klabin, que propicia novas formas de leitura do acervo da casa, constituído de arte clássica e arqueológica. A 14ª edição recebe os artistas Enrica Bernardelli, que apresenta Concerto de Pálpebras, e o premiado artista português Daniel Blaufuks, com a intervenção Três Quartos de Memória. Fundação Eva Klabin, Av. Epitácio Pessoa, 2.480, Lagoa (3202-8554). 3ª a 6ª, das 14h às 18h. R$ 10. Até 6 de novembro.

RECONFIGURAÇÕES DO PÚBLICO: ARTE, PEDAGOGIA E PARTICIPAÇÃO - O evento transdisciplinar discute as perspectivas de atuação dos museus, instituições e espaços culturais alternativos no século 21. O evento, que terá mesas-redondas, oficinas e grupos de estudos, discutirá de que maneira artistas, curadores e educadores podem responder às demandas atuais da sociedade. As inscrições podem ser feitas pelo site: http://www.mamrio.com.br. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. Grátis. 3ª, 8 de novembro, das 14h30 às 19h30; 4ª, 9 de novembro, das 11h às 19h; 5ª, das 14h30 às 19h.

SEMINÁRIO CERÂMICA CONTEMPORÂNEA - A reflexão sobre a presença da cerâmica na arte contemporânea é o outro propósito da mostra será discutido no seminário. O tema desta semana será 'Os Múltiplos e os Encontros': a experiência colaborativa com a cerâmica  Palestrante: Rosilda Sá (UFPB). Salão 1 e Midiateca do Centro Cultural da UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã (2334-0728). Grátis. Até 24 de novembro. 2ª, 7 de novembro, das 18h às 19h. 

-- ABERTURA --

A3+ - A exposição é resultado de uma produção coletiva, que tem a impressão digital como matéria prima e explora a relação entre as artes urbanas e gráficas. Participam da primeira edição, 25 artistas contemporâneos de diferentes áreas como design, graffiti e ilustração. Com pôsteres 60 X 80 cm, a exposição conta também com projeções do Studio Brainstorm, intervenções no espaço externo e painel interativo - para participação dos convidados. Outros trabalhos antigos vão explorar o reaproveitamento de papel. Galpão das Artes Urbanas Hélio G. Pellegrino, Padre Leonel Franca, s/nº, Gávea. Grátis. 2ª a 6ª, das 9h às 17h. Até 31 de janeiro. A partir de 5ª, 10 de novembro, das 18h às 22h. 

ANTES QUE UM PENSAMENTO SE CONCLUA / LAURA ERBER - Na mostra, a artista expõe pela primeira vez a série de desenhos "Desalinho" e o objeto "Caderno Bénédictino" inspirado na personagem do seu livro digital "Bénédicte vê o mar" lançado recentemente. Os desenhos mostram pautas de cadernos escolares tornadas flexíveis, desfazendo a ilusão de segurança e estabilidade que normalmente oferecem. Liberadas da função de sustentar palavras, as pautas criam percursos sinuosos e incompletos, ora se partem, ora se embaraçam. A linha torna-se uma forma de pensamento e não deixa que as idéias se imobilizem. Serão expostos 10 desenhos em dois formatos – 42 x 29,7 cm e 59,4 x 42 cm – e um objeto. Galeria de Arte Mercedes Viegas, Rua João Borges, 86, Gávea (2294-4305). 2ª a 6ª, das 12h às 20h; sáb., das 16h às 20h. Grátis. Até 10 de dezembro. A partir de 5ª, 10 de novembro.

'Baque virado' traz peças ligadas pelo cobre
'Baque virado' traz peças ligadas pelo cobre

BAQUE VIRADO / AFONSO TOSTES - As obras foram especialmente feitas para a mostra, que tem curadoria de Luiz Camillo Osorio. Afonso Tostes vai mostrar a grande instalação “Raiz”, composta por cerca de 20 peças esculpidas em madeira, 40 galhos de árvores folheados a ouro, além de outros naturais. As peças são ligadas através de tubos de cobre. Nas três paredes do espaço de 300 metros quadrados estarão 80 xilogravuras, com imagens de galhos, sobre fundo vermelho, da série “Reino”, de 2011. As esculturas que compõem a instalação “Raiz” são feitas em madeiras recuperadas de demolições e canteiro de obras pela cidade, material pesquisado há anos pelo artista, que desde o ano passado trabalha o formato de árvore. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. R$8. Estudantes maiores de 12 anos e maiores de 60 anos pagam meia. Grátis para amigos do MAM e crianças até 12 anos. Domingos ingresso família, para até 5 pessoas: R$8. Até 15 de janeiro de 2012. A partir de 4ª, 9 de novembro, às 19h.

Fabia Schnoor convida o público para um mergulho em seu universo poético
Fabia Schnoor convida o público para um mergulho em seu universo poético

CO MEMORAR / FABIA SCHNOOR - Com cerca de 40 obras, entre telas, desenhos, colagens, fotografia e vídeo, a mostra convida a um mergulho no universo de Fabia, que transpira poesia em seus traços delicados, interlingando pontos, percursos e indivíduos na costura da memória. A história que cresce pra fora no mundo, cresce para dentro como uma escrita interna.  A memória é sempre uma recuperação de parte de algum tempo recriado no tempo presente, o esquecimento, a perda e a ausência caminham junto, é forte a presença da ausência e do que não é dito ou o que não foi vivido. Largo das Artes, Rua Luis de Camões, 2, sobrado, Lardo de São Francisco, Centro (2224-2985). Grátis. Até 17 de dezembro. A partir de sáb., 5 de novembro, das 17h às 20h.

UERJ Dentro fora junto
UERJ Dentro fora junto

DENTRO/FORA/JUNTO - Produções da artista e docente Rosilda Sá, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e do coletivo de artistas O Círculo, composto por integrantes da UERJ e da Comunidade da Mangueira. A mostra tem o objetivo de apresentar trabalhos que foram criados a partir de um modo colaborativo de produção artística, resultados da interação dos artistas envolvidos. A abertura da exposição contará com três apresentações: Coral do Meio-Dia, da UERJ, Coletivo 13 Numa Noite e da poetisa Helena Sá. Galeria Gustavo Schnoor e Salão 1, Centro Cultural da UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã (2334-0728). 2ª a 6ª, das 9h às 20h. Grátis. Até 25 de novembro. A partir de 2ª, 7 de novembro, às 19h.

A mostra, com a curadoria de Marcus de Lontra Costa, apresenta diversas obras
A mostra, com a curadoria de Marcus de Lontra Costa, apresenta diversas obras

(DES)EQUILÍBRIOS E (IM)PERFEIÇÕES - A mostra, com a curadoria de Marcus de Lontra Costa, apresenta trabalhos dos jovens artistas Alvaro Seixas (RJ), Clara Benfatti (SP), Guilherme Dable (RS), Hugo Houayek (RJ), Luciana Paiva (DF), Túlio Pinto (RS) e Virgílio Neto (DF) que, atualmente, se destacam em editais, prêmios, salões, residências artísticas e produção acadêmica. A Coleção de Arte abre espaço para jovens artistas, procedentes de Brasília, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, integrando-os ao circuito cultural da arte carioca e reafirma a sua vocação de ser um espaço de divulgação artística comprometido com a qualidade e com os novos valores da arte brasileira. Galeria Coleção de Arte, Praia do Flamengo, 278, Térreo, Flamengo (2551-0641). 2ª a sáb., das 10h às 18h. Grátis. Até 18 de janeiro. A partir de 5ª, 10 de novembro, das 19h às 22h.

EM NOME DO SAGRADO - Kita Pedroza pesquisou sobre assistência religiosa em unidades socioeducativas, destinadas a adolescentes em situação de conflito com a lei. Seu estudo resultou em 40 imagens, que mostram momentos emblemáticos dessa documentação fotográfica sobre a vivência espiritual dos adolescentes e a atuação de religiosos no sistema carcerário. Visita orientada com a fotógrafa no sáb., 19 novembro, às 17h. Centro Cultural Justiça Federal, Av. Rio Branco, 241, Galeria do 2º andar, Centro (3261-2550). 3ª a dom., das 12h às 19h. Grátis. Até 4 de dezembro. A partir de sáb., 5 de novembro. 

O ESTENDAL / O FUTURO A DEUS PERTENCE - Com curadoria de Patricia Gouvêa, os fotógrafos penduram em um varal suas interpretações estampadas em tecido, com diferentes olhares sobre o mesmo tema – baseados sempre em expressões populares. No varal de “O Futuro a Deus Pertence” estarão 20 fotografias de tamanhos e formatos variados, que podem ser tocadas pelo público – permitindo intimidade com a arte. Praça Jardim do Méier (próximo a Rua Santa Fé). Grátis. Dom., 6 de novembro, das 10h às 15h.

Gabriel Basilico apresenta mostra no Oi Futuro
Gabriel Basilico apresenta mostra no Oi Futuro

GABRIEL BASILICO - A exposição traz 63 fotografias de grande e médio formato e 15 painéis de provas em contato do artista italiano. Para a mostra no Rio, ele passou um período de 11 dias na cidade, em julho, pesquisando e registrando várias regiões da cidade, em projeto especial, a fim de produzir fotografias inéditas que estarão em uma sala especial da exposição. Estarão ainda fotografias das séries “Milão Retratos de Fábricas” (1978-1980), “Cidades”, “work in progress” e fotografias e provas em contato de “Beirute”, realizadas em 1991, no período pós-guerra. A exposição, panorama da obra do artista, será acompanhada de um livro de 156 páginas, 68 imagens a cor e preto e branco, texto crítico das curadoras e entrevista crítico de arte Paulo Sergio Duarte. Oi Futuro Flamengo, Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo (3131-3060). 3ª a dom., das 11h às 20h. Grátis. Até 18 de dezembro. A partir de 3ª, 8 de novembro. 4ª, 9 de novembro, às 19h30, haverá um bate-papo entre o artista Gabriele Basilico e o crítico de arte Paulo Sergio Duarte com tradução simultânea. 

'Imagens e aquarelas' é composta por 20 imagens do artista Sérgio Guerini
'Imagens e aquarelas' é composta por 20 imagens do artista Sérgio Guerini

IMAGENS E AQUARELAS / SÉRGIO GUERINI - O pintor,aquarelista e artista plástico Sérgio Guerini abre apresenta cerca de 20 imagens – entre fotografias e aquarelas, sendo que algumas delas foram expostas em Abrantes, Portugal, em outubro de 2010. Autodidata, Sérgio Guerini começou a dedicar-se à pintura em 1980, por meio de intervenções que fazia com aquarela e nanquim em fotos pretoebranco tiradas de muros e de paredes de favelas. As aquarelas nasceram após a experiência de ampliar fotos de construções barrocas e de paisagens da cidade de Tiradentes (MG), posteriormente fotocopiadas em papel de aquarela. Baukurs Cultural, Rua Goethe, 15, Botafogo (2246-6242). Grátis. Até 19 de fevereiro de 2012. A partir de 3ª., 8 de novembro.

MÁSCARAS - A exposição apresenta um pouco do universo das Folias de Reis por meio das máscaras, utilizadas pelos palhaços das folias durante as peregrinações às casas dos devotos. O material apresentado faz parte do acervo do INEPAC (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural), do Museu de Folclore Edison Carneiro, da Prefeitura de Miracema e também do acervo particular de alguns colecionadores e palhaços de diversos grupos de Folias de Reis do estado do Rio de Janeiro. Os palhaços - integrantes de grupos de Folia de Reis juntamente com o mestre,  o contra-mestre,  o bandeireiro e  o músico  - utilizam máscaras, elementos marcantes que os caracterizam e personificam, produzidas com diversos tipos de materiais, formas e estilos e que se destacam também pelas cores vibrantes e alegres. Galeria Cândido Portinari, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã (2334-0728). 2ª a 6ª, das 9h às 20h. Grátis. Até 9 de dezembro. A partir de 4ª, 9 de dezembro, às 19h.

O pintor, desenhista e escultor paulistano Rubens Ianelli apresenta 12 trabalhos
O pintor, desenhista e escultor paulistano Rubens Ianelli apresenta 12 trabalhos

RUBENS IANELLI - O pintor, desenhista e escultor paulistano apresenta 12 trabalhos. Uma nova produção inspirada em estudos e guaches geométricos criados na década de 70.  Rubens Ianelli é traduzido como uma simbiose de idéias construtivistas, em que a cor e a forma agem juntas para definir o seu fascínio por uma paisagem imaginária e por símbolos. O resultado é uma exposição formada por quadros e esculturas com releituras desses desenhos geométricos que Rubens criou na década de 70. As esculturas são fiéis aos geométricos das telas, transferindo as formas das telas para as esculturas e vice versa. Espaço Eliana Benchimol, Cassino Atlântico, 2º andar, Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1417 - Copacabana (2513-3307). 2ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 13h às 19h. Grátis. Até 9 de dezembro. A partir de 4ª, 9 de novembro, às 19h.

O SOM DO DESENHO / ALEXANDRE RAPOPORT - A simbiose única entre a música e a pintura pode ser conferida na arte do artista plástico Alexandre Rapoport na exposição com 80 desenhos, 9 quadros a óleo e 22 gravuras de baixa tiragem, fruto de um intenso trabalho ao longo do ano de 1997 e que só agora serão expostos, numa mostra inédita. Divididas entre tinta acrílica e técnica mista (mistura de tinta nanquim, tinta acrílica, vernizes e ceras), as obras retratam músicos de uma orquestra sinfônica, construídos a partir de corpos esféricos e rostos tridimensionais, que garantem movimento aos quadros. TNT Escritório de Arte, Itanhangá Center, Estrada da Barra da Tijuca, 1.636, Loja A1, Bloco B, Itanhangá (2495-5756). Das 10h às 19h. Grátis. Até 19 de novembro. A partir de 4ª, 9 de novembro.

A exposição apresenta pinturas feitas três meses antes da morte do artista
A exposição apresenta pinturas feitas três meses antes da morte do artista

TUDO VAI FICAR DA COR QUE VOCÊ QUISER - Com curadoria de Marta Mestre e Ramon Mello, serão apresentadas cerca de 30 pinturas, em óleo sobre tela, feitas pelo artista em 2009, três meses antes de falecer. A mostra será acompanhada de um catálogo produzido pela Edições Pinakotheke. Dentre os destaques da exposição está a grande pintura "O sentido da vida", com 1,50 x 4 m, que “revela uma leitura do mundo através de signos visuais arcaicos e místicos”, segundo os curadores. Também fazem parte da mostra as pinturas "A morte do Saci", que está na capa do livro Me roubaram os dias contados (Record, 2010), e "O punk", capa do livro O Esquizóide (Record, 2011). Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. R$8. Estudantes maiores de 12 anos e maiores de 60 anos pagam meia. Grátis para amigos do MAM e crianças até 12 anos. Domingos ingresso família, para até 5 pessoas: R$8. Até 15 de janeiro. A partir de 4ª, 9 de novembro, às 19h.

-- EM CARTAZ NOS MUSEUS E CENTROS CULTURAIS --

>> Biblioteca Nacional, Avenida Rio Branco, 219, Centro (3095-3879). 3ª a 6ª, das 10h às 18h; sáb. e dom., das 12h às 17h. 

GIORGIO VASARI: A INVENÇÃO DO ARTISTA MODERNO - O pintor e arquiteto italiano Giorgio Vasari foi responsável por organizar, analisar e criticar importantes obras de arte do Renascimento no livro “Vidas dos mais excelentes pintores, escultores e arquitetos”, de 1550. O catálogo que trazia a biografia dos artistas foi considerado o primeiro livro de história da arte. Grátis. Até 11 de dezembro.

>> Caixa Cultural Rio de Janeiro, Av. Almirante Barroso, 25, Centro(2544-4080). 3ª a sáb., das 10h às 22h; dom., das 10h às 21h. Grátis. 

LEMBRANÇAS PERDIDAS - Em sua primeira individual, o cenógrafo e artista plástico Sérgio Marimba reúne 20 trabalhos a partir de fotografias antigas, recolhidas em feiras de antiguidades, sobrepostas em superfícies metálicas e oxidadas, que resgatam indícios de histórias reais ou imaginativas e estabelecem, por meio da arte, uma relação entre o presente e o passado. Até 27 novembro.

XVI EXPOSIÇÃO DOS ALUNOS DAS OFICINAS DE DESENHO DANIEL AZULAY -Uma mostra que traz trabalhos apresentados de forma lúdica, prazerosa, criativa, informativa, da maneira como são ministrados os cursos de desenho por Azulay. Nas Oficinas de Desenho do artista, é trabalhada uma sequência progressiva de temas, tornando-os bem elaborados, com desafios e passo a passo, desenvolvendo a autoconfiança e a criatividade dos alunos. Com curadoria de Kurt Rasmussen, a exposição traz também obras do próprio Azulay, com o conceito de “Toy Art”, uma ligação estreita do artista com a estética infantil, assimilada em mais de três décadas de trabalhos com atividades criativas e projetos sociais para crianças. Grátis. Até 13 de novembro. 

>> Câmara Municipal de Duque de Caxias, Rua Paulo Lins, 41, Jardim 25 de Agosto, Duque de Caxias. Diariamente, das 10h às 17h. 

EXPOSIÇÃO DE PINTURAS  - O Instituto Histórico da Câmara Municipal de Duque de Caxias realiza a abertura da exposição de pinturas, sob o tema Mostra de Primavera. Na ocasião, haverá ainda apresentação musical.  Grátis. Até 11 de novembro.   

>> Casa de Cultura Laura Alvim, Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema (2332-2015). 3ª a dom., das 13h às 21h. 

7 - RONALD DUARTE - Filho de Xangô, o artista plástico Ronald Duarte faz uma homenagem ao santo do candomblé em sua exposição. Na individual, apresenta sempre sete unidades de suas obras, sejam desenhos de fogo, objetos em pet, fotos de grandes dimensões de interferências urbanas, além de vídeos e projeções. Os desenhos de fogo são feitos com maçarico de ourives sobre papel vegetal, de 100 x 70cm, que reage ao calor do aparelho e produz linhas em relevo ou queimaduras, como as de cigarro. Sob curadoria de Fernando Cocchiarale. O título da exposição vem do fato de o número determinar sequências marcantes no universo: sete dias da semana, sete cores do arco-íris, sete notas musicais, sete buracos da cabeça, sete anões, sete continentes, sete pecados capitais, entre outros. Até 4 de dezembro. 4ª, 9 de novembro, às 19h, acontece uma visita guiada na exposição com o artista Ronald Duarte e o curador Fernando Cocchiarale. 

>> Casa França-Brasil, Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro (2332-5120). 3ª a dom., das 10h às 20h. Grátis. 

PROJETO COFRE: PINTURA ANTIFURTO PEDRO VICTOR BRANDÃO - Notas de dinheiro manchadas com tinta púrpura fazem parte da exposição Pintura Antifurto. Pensada especialmente para o espaço no Cofre da Casa França-Brasil, a série é resultado da apropriação de imagens das cédulas por um dispositivo antifurto quando há roubo em caixas eletrônicos por explosão. Pedro elabora uma composição e, ao mesmo tempo, disponibiliza algumas notas para apropriação do público. Instigado pelo espaço/Cofre e sua funcionalidade inicial, o artista re-significa o papel-moeda criando uma nova inserção das cédulas no circuito. Até 6 de novembro.

>> Centro Cultural Banco do Brasil , Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., das 10h às 21h. Grátis.

THIAGO ROCHA PITTA - Mineiro de Tirandentes, Thiago Rocha Pitta é o novo dono da Sala A Contemporânea, dedicada a trabalhos de artistas da nova geração. A instalação "Juventude", criada em 2006, e o vídeo "O cúmplice secreto", de 2008, fazem referência ao mar - temática muitas vezes explorada por Pitta. "O mar não tem dono", diz ele, enfatizando que "o mar está fora do território, é um espaço livre". Até 31 de dezembro.

>> Centro Cultural Correios, Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro (2253-1580 ). 3ª a dom., das 12h às 19h. Grátis.

CLAUDIO AUN - 40 ANOS DE ARTE - As poderosas cabeças de deuses gregos e a força da mitologia,  representados nas esculturas e pinturas do artista paulista Claudio Aun,  nos transportam para o mundo da magia. A exposição comemora os 40 anos de atividade do artista.  Até 13 de novembro. 

PAIXÕES PRIVADAS – A ARTE EUROPEIA NAS COLEÇÕES PARTICULARES DO RIO DE JANEIRO - Obras de Rodin, Kandinsky, Renoir, Chagall, Bosch, Delaunay, Braque, Modigliani estarão reunidas na exposição. O curador Romaric Büel reuniu mais de 70 obras de arte de diferentes períodos e artistas, com técnicas e materiais diversos. São telas, desenhos, aquarelas, esculturas e tapeçarias que revelam as paixões particulares de Roberto Marinho, Geneviève e Boghici, entre outros importantes colecionadores. Grátis. Até 13 de novembro. 

WALDOMIRO DE DEUS - Waldomiro de Deus, 66, comemorará meio século de pintura com uma mostra individual que inclui 30 obras pintadas nas décadas de 60, 70, 80, 90 e nos primeiros anos no novo milênio. Ela revela um universo pictórico rico que inclui desde recriações da natureza e da vida cotidiana do povo brasileiro até grandes tragédias nacionais e internacionais como o ataque às torres gêmeas de Nova York, ocorrida há 10 anos, o atentado terrorista a uma estação de Madri, na Espanha, o recente tsunami que atingiu o Japão depois de um terremoto de 8.9 graus na escala Richter, o acidente ocorrido na construção da Estação Pinheiros do Metrô de São Paulo. Grátis. Até 13 de novembro. 

>> Centro Cultural Justiça Federal, Av. Rio Branco, 241, Galeria do 2º andar, Centro (3261-2550). 3ª a dom., das 12h às 19h. Grátis.

O TARO DE JANAINA - O visitante poderá conferir uma série de desenhos-pinturas de Deolinda Della Nina, cuja criação partiu de estudos sobre a representação da figura humana na contemporaneidade. Os retratos singulares nos remetem a personas ou arquétipos femininos, como uma leitura psicológica das cartas de tarô. Até 27 de novembro.

ÁFRICA-BRASIL, ANCESTRALIDADE E EXPRESSÕES CONTEMPORÂNEAS - A mostra apresenta uma abordagem áudio visual das civilizações africanas e sua história; além de homenageará a memória do recém-falecido pintor, poeta, escritor e professor universitário Abdias Nascimento. No evento de abertura, está previsto o lançamento de dois livros: Pestana, 30 Anos de Arte pela Igualdade, com uma a retrospectiva da obra de Maurício Pestana em 3 volumes e Ações Afirmativas: Análises jurídicas, publicação organizada por Renato Ferreira. Mostra valoriza a arte negra brasileira e homenageia a memória de Abdias Nascimento. Até 4 de dezembro.

O CCJF NO CENTRO DO RIO - A exposição interativa, em tela LCD, traça um paralelo entre a história do prédio e os fatos marcantes da cidade no mesmo período. Térreo. Permanente.

CIDADE E DESAPARECIMENO - AÇÃO ARQUIVAR - A mostra apresenta pesquisas poéticas de artistas que buscam construir relações de sentido, tempo e memória através da produção de obras marcadas pela transitoriedade. Nelas, a cidade se apresenta como vasto campo de experiências sensíveis, que podem ser compreendidas como escrita, texto e fabulação do cotidiano, recontado e redesenhado. Curadoria: Luiz Claudio da Costa, Leila Danziger e Malu Fatorelli.  Até 27 de novembro. 

GALERIA DAS TOGAS - A exposição, inédita no Rio de Janeiro, mostra um breve histórico da origem e evolução do uso da Toga - roupa indispensável no vestuário dos magistrados. Permanente.

LINHA DO TEMPO DO JUDICIÁRIO NO BRASIL - O  equipamento audiovisual da Sala Interativa, no térreo, apresenta fatos marcantes da história do Judiciário do Brasil. Térreo. Permanente.

RELEVOS TRANSITÓRIOS - Composta por dezoito fotografias impressas em papel Hahnemuhle e duas instalações, a exposição  de Cristina Bahiense é o resultado de uma profunda pesquisa feita com materiais contemporâneos  e industriais, onde a oposição entre elementos geométricos e orgânicos, o contraste da pós-imagem e a consequente ambiguidade perceptiva sugerem um espaço dinâmico. Até 27 de novembro.

ROCK (INDEPENDENTE) NO RIO - 20 ANOS DE RESISTÊNCIA CULTURAL - A exposição tem como referência o livro Niterói Rock Underground (1990-2010) do jornalista, publicitário e quadrinista Pedro de Luna, que foi lançado em junho deste ano de forma independente. São dezenas de capas de fitas demo em k7, fotografias, cartazes, flyers, fanzines e credenciais de festivais independentes. Entre as raridades, a demo da banda Los Hermanos, fotos de bandas como Planet Hemp e o Rappa no início da carreira, bem como panfletos e cartazes de shows memoráveis.  Curadoria: Pedro de Luna. Galeria  do térreo. Até 13 de novembro.

TRAMAS VISUAIS - O projeto fotográfico de Ricardo Mello mostra a arquitetura do centro do Rio de Janeiro sob uma  perspectiva geométrica abstrata. As fotografias compõem uma animação de videoarte, onde  as imagens fotográficas formais se fundem, misturam-se e se movimentam. Até 4 de dezembro.

>> Espaço Cultural Municipal Sergio Porto, Rua Humaitá, 163, Humaitá (2535-3846). 4ª a dom., das 14h às 21h.

KHAZA - Na individual, Claudia Hersz apresenta uma grande instalação formada por objetos, móveis, encadernações, pinturas e mais de 100 metros quadrados de tapetes que cobrem parte do chão e das paredes. Grátis. Até 20 de novembro.

NÓS - Na individual, a artista Claudia Tavares reúne fotografias, objetos e um vídeo que tem como fio condutor uma investigação sobre o tempo afetivo. Os trabalhos tem origem no afeto, mas que ultrapassam o universo particular. Grátis. Até 20 de novembro.

>> Instituto Moreira Salles, Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea (3284-7400). 3ª a 6ª, das 13h às 20h; sáb. e dom., das 11h às 20h.

MIRA SCHENDEL - A mostra traz 27 obras da suíça Mira Schendel (1919 e 1988), que passou parte de sua vida no Rio. Com curadoria de Maria Eduarda Marques, a exposição conta com trabalhos produzidos entre 1950 e 1980, pertencentes a acervos de coleções particulares e instituições. Até 20 de novembro.

PANORAMAS - A mostra reúne 313 obras do acervo do Instituto Moreira Salles, na Gávea, entre fotografias, desenhos e gravuras produzidas entre os anos 1820 e 1920. Destaque para as imagens da enseada de Botafogo. Curadoria de Sergio Burgi e Carlos Martins. Até 13 novembro.

>> Museu da Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Rua Dom Manuel, 29, sala 202, Centro (3133-2515). 2ª a 6ª, das 11h às 17h. Grátis.

PROJETO DA MEMÓRIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - As cerca de 50 peças do acervo, composto de objetos, medalhas, documentos antigos, livros e itens de indumentária, estão expostas em dois belos ambientes do 3º andar, os Salões Nobre e dos Espelhos. Dentre as peças mostradas, estão o belo relógio de mesa pertencente ao TJ do Estado da Guanabara e a máquina portátil de escrever alemã Mignon, pioneira em seu gênero na década de 30, que faz parte do núcleo da escrita. Longa duração.

>> Museu de Imagens do Inconsciente, Rua Ramiro Magalhães, 521, Engenho de Dentro (3111-7471). 2ª a sáb., das 9h às 16h.

AS ORIGENS DO MUSEU DE IMAGENS DO INCONSCIENTE - A exposição aborda o inicio dos ateliês de pintura e modelagem da Seção de Terapêutica Ocupacional do Centro Psiquiátrico Nacional, hoje Instituto Municipal Nise da Silveira. Com curadoria de Luiz Carlos Mello, diretor do MII, a mostra apresenta obras inéditas produzidas por internos esquizofrênicos entre 1946 e 1951, além de memórias de Almir Mavigner, artista plástico que revelou em entrevistas detalhes desconhecidos sobre o início desse trabalho criado pela psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999). Grátis. Até 31 de dezembro. 

>> Museu Nacional, Quinta da Boa Vista s/nº, São Cristóvão. 3ª a dom., das 10h às 16h.  R$ 3. 

SANTO ANTÔNIO DE SÁ: PRIMEIRA VILA DO RECÔNCAVO DA GUANABARA - A exposição sobre o início da ocupação do estado tem relíquias arqueológicas recém-descobertas. Alguns destaques são cachimbos africanos, que revelam traços culturais dos grupos de negros que vieram para o o Rio, e faianças, porcelanas portuguesas e espanholas com brasões de família que deram origem a sobrenomes como Silva. A mostra é resultado de um dos maiores trabalhos de arqueologia já feitos no país, na região de Itaboraí, onde foram identificados 45 sítios arqueológicos. Até 26 de novembro.

>> Museu Nacional de Belas Artes, Av. Rio Branco 199, Centro (2219-8474). 3ª a 6ª, das 10h às 18h, sáb.e dom., das 12h às 17h. 

O CIRCO DO SONHO - A mostra coletiva é de Andrei Muller, Flávio Vasconcellos e Gustavo Speridião, o trio artístico “Gráfica Utópica”. Com o mesmo nome da exposição e com objetivo de mostrar a relação poética e política que se estabelece entre os artistas e os recursos atuais de produção do áudio visual, o coletivo apresenta o premiado filme “O circo dos Sonhos”, um média metragem que sintetiza o trabalho dos artistas e os meios disponíveis para a produção do vídeo arte. A mostra contará também com uma sequência de 26 fotografias digitais em preto e branco, que fazem parte do projeto. Paralelo a exposição, haverá o projeto “08 Domingos de Vídeo Arte no MNBA”, que contará com exibição de uma série de sessões de vídeo arte no auditório. Museu Nacional de Belas Artes, Av. Rio Branco, 199, Centro (2219-8474). 3ª a 6ª, das 10h às 18h, sáb.e dom., das 12h às 17h. R$ 8, meia-entrada R$ 4. Grátis aos domingos. Até 11 de dezembro. 

GALERIA DE ARTE BRASILEIRA MODERNA E CONTEMPORÂNEA - Um amplo e rico painel da arte nacional do século 20 e dos dias de hoje, é o que aguarda o visitante. O espaço da exposição está dividido em dois andares, abrigando pinturas, esculturas, gravuras, desenhos e instalações. Permanente.

GALERIA DE ESCULTURAS ESTRANGEIRAS - Com treze obras expostas, e recém aberta, a exposição está abrigada na Galeria Rodrigo Mello Franco, no segundo piso. Entre os destaques estão expostas obras  do francês Auguste Rodin, "A meditação sem braço"; do uruguaio José Belonni, com "Águia",  e do argentino Rogelio Yrurtia autor de "Torso", entre outras,  com grande presença de autores latino-americanos. Longa duração.

A REINAUGURAÇÃO DA GALERIA DE ARTE BRASILEIRA DO SÉCULO XIX - Fechada para obras de reforma desde 2008,  a nova Galeria de Arte Brasileira do Século XIX foi reinaugurada. Dentro da imensa Galeria de Arte Brasileira, provavelmente a maior do Brasil,  com 2 mil metros² e 8 metros de pé direito,  estarão em exibição 230 trabalhos,  ou seja,  100 a mais do que a versão anterior.  A coleção engloba pinturas,  esculturas,  arte sobre papel e mobiliário, todos restaurados para a mostra. Até 18 de fevereiro. 

RIO - A ARTE DA ANIMAÇÃO - Para celebrar o lançamento em DVD e Blu-Ray da animação de sucesso mundial “Rio”, a Twentieth Century Fox Home Entertainment se uniu à RioFilme, à MisterToon Studios e ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/IBRAM/MinC) para apresentar ao público carioca os bastidores desta deslumbrante representação da Cidade Maravilhosa. Até 6 de novembro.

>> Museu da Republica, Rua do Catete, 153, Catete (3235-3693). 3ª a 6ª, das 10h às 17h; sáb., dom. e feriados, das 14h às 18h. R$6; grátis 4ª e dom. 

A RES PÚBLICA BRASILEIRA - A exposição se divide em seis ambientes que pretendem recriar, historicamente, o período republicano. Longa duração.

>> Museu de Arte Contemporânea de Niteroi, Mirante da Boa Viagem, s/ nº, Niterói. 3ª a dom., das 10h às 18h. A bilheteria encerra suas atividades 15 minutos antes.

COLEÇÕES JOÃO SATTAMINI E MAC - Esta mostra, complementada com obras da Coleção MAC de Niterói (constituída por doações de artistas), oferece ao visitante um panorama de importante momento da história, sobretudo quando se testemunha o interesse cada vez maior pela arte brasileira em todo o mundo. R$5. Longa duração

>> Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. R$8. R$ 4 para estudantes maiores de 12 anos e para maiores de 60 anos. Grátis para amigos do MAM e crianças até 12 anos. Domingos ingresso família, para até 5 pessoas: R$8. 

PONTO FINAL SEM PAUSAS / ELISA BRACHER - A instalação, criada especialmente para a primeira exposição da artista no MAM Rio, é composta por uma grande esfera de 1,10 metro de diâmetro, pesando oito toneladas, que ficará a cerca de dois metros do chão e “flutuará no salão monumental do MAM”, suspensa por dois cabos de aço. Fazem parte da instalação, ainda, três grandes placas de chumbo – chamadas de lençóis pela artista – que ficarão próximas à parede do museu. Os “lençóis”, colocados vertical e horizontalmente, medem 8m x 10m cada. Até 15 janeiro.   

O RETORNO DO DESEJO PROIBIDO / LOUISE BOURGEOIS - A primeira panorâmica no Brasil da grande artista franco-americana, nascida em Paris em 1911 e falecida recentemente em maio do ano passado, aos 98 anos, em Nova York.  Com curadoria de Philip Larratt-Smith, e organização do Studio Louise Bourgeois, em Nova York, a mostra trará pela primeira vez ao país em sua escala monumental a obra “Maman” (1999), uma imensa aranha de bronze e aço, com ovos de mármore. Com cerca de dez metros de altura, e dez metros de diâmetro, e pesando perto de onze toneladas, “Maman” ficará ao lado do MAM Rio, no Parque do Flamengo.  Até 13 de novembro. 

>> Museu Histórico Nacional, Praça Marechal Âncora s/nº, Centro. 3ª a 6ª, das 10h às 17h30; sáb. e dom., das 14h às 18h. 

EXPOSIÇÕES DE LONGA DURAÇÃO - Depois de uma grande obra de recuperação, o Museu Histórico Nacional abre quatro grandes núcleos de exposição: “Oreretama”, “Portugueses no mundo: 1415-1822”, “A Construção da nação: 1822-1889”" e “A cidadania em construção: 1889 à atualidade”. As mostras abrangem da pré-história brasileira ao século XXI, incluindo obras contemporâneas de artistas como Carlos Vergara. R$6. Grátis aos dom. Até 23 de novembro.

PERCURSO GRÁFICO - 50 ANOS DE ARTE DE CLÉCIO PENEDO - A exposição Percurso Gráfico – 50 anos da arte de Clécio Penedo está em cartaz no Museu Histórico Nacional/MinC entre os dias 6 de outubro e 25 de novembro.  Trata-se da retrospectiva da obra de Clécio Penedo (1941-2004), um importante nome do desenho brasileiro contemporâneo, no âmbito das comemorações dos 70 anos do nascimento do artista. No dia 19 de outubro, às 14h, acontece uma Mesa Redonda sobre o artista e sua obra, com a participação de André Luiz Faria Couto, Geraldo Édson Andrade, Ronaldo Auad Moreira e Solange Godoy e mediação de Edson Borges. Até 25 de novembro.

>> Oi Futuro Flamengo, Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo (3131-3060). 3ª a dom., das 11h às 20h. 

MUSEUS DAS TELECOMUNICAÇÔES - Espaço da memória, da experimentação e da contemporaneidade, o Museu incorpora as mais avançadas tecnologias e tendências museográficas do século XXI para contar a aventura da comunicação humana. Documentos, objetos museológicos aliados a recursos de alta tecnologia narram a história da comunicação humana. São mais de 120 vídeos, produzidos a partir de pesquisas em cerca de 90 instituições nacionais e internacionais, peças significativas do acervo histórico do Museu/Oi Futuro - como a cabine telefônica do início do século passado – que levam o visitante através de uma empolgante viagem virtual. Permanente

>> Oi Futuro Ipanema, Rua Visconde Pirajá, 54, 3º andar, Ipanema (32013010). 3ª a dom., das 13h às 21h. Grátis.

CARTAZ EM CARTAZ / FERNANDO PIMENTA - A exposição mostrará a totalidade de cartazes, vinhetas e créditos de abertura e encerramento dos mais de 300 filmes dos quais o artista gráfico Fernando Pimenta participou em seus quase 30 anos de trabalho, entre eles “Câncer”, de Glauber Rocha, “Bye Bye Brasil”, de Carlos Diegues, “Pixote”, de Hector Babenco e, mais recentemente, “Lula, O Filho do Brasil”, de Fábio Barreto. O conceito desta exposição é inédito no mundo, pois os visitantes poderão utilizar estações de trabalho touchscreen para manipular e recriar alguns cartazes de forma lúdica, mudando as cores, fotos, fontes, e compartilhando o resultado nas suas redes sociais (Facebook, Twitter, etc) ou por e-mail. Até 6 de novembro. 

-- EM CARTAZ NAS GALERIAS E OUTROS ESPAÇOS --

1,2, - Na mostra composta por 16 obras inéditas recentes, Amador Perez dá continuidade a um processo iniciado há quase quarenta anos, onde investiga binômios da arte como obra e simulacro, produção e reprodução, materialidade e imaterialidade. Em “1, 2,” o artista trabalha a partir de desenhos de sua autoria produzidos nos anos 80, que percebe a dualidade que discute, e interfere manualmente em impressões de pigmento mineral sobre papel com uma linguagem que mescla os princípios técnicos do desenho, da gravura, da pintura e da colagem. Jaime Portas Vilaseca Galeria, Avenida Ataulfo de Paiva, 1079, subsolo 109, Leblon (2274-5965). 2ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 10h às 14h. Grátis. Até 3 de dezembro.

AZUL DA COR DO MAR - A aventura do visitante na exposição começa pela simulação de um mergulho atrás de uma cortina com projeções do mar. A primeira parada é no mundo lendário de piratas, sereias, monstros e seres que vivem nas profundezas de um mar tenebroso. A decoração utiliza alegorias da Escola de Samba Portela, no enredo homônimo ao nome da exposição. Na segunda braçada e em um  mergulho mais profundo irá encontrar a Amazônia Azul, patrimônio brasileiro no mar, e o Pré-Sal. Para finalizar e dando as últimas braçada a mostra traz à tona a resposta para a pergunta “Por que o mar é Azul?”, tendo a ciência como aliada para sanar essa curiosidade do visitante. Espaço Cultural da Marinha, Rua Alfred Agache, s/n, Praça XV, Centro. 3ª a dom., das 12h às 17h. Grátis. Até 31 de julho. 

CORTE - Na primeira individual no Rio, o artista mineiro Thiago Honório apresenta diversos materias em suas obras. Em “Vis-à-vis”, são chifres de boi, lupas e um espelho convexo; “Presa", traz uma presa de elefante, um anel de bronze com um projétil sobre uma estrutura de acrílico maciço; “Viravolta”, tem peles de lebres, negras e brancas, das quais emerge um par de chifres de touro selvagem; “Paparazzi”, coloca dois espelhos de face, arredondados, com lentes de aumento e braços articulados de latão, afixados à parede e dispostos lado a lado; e em “Entre“, dois chifres de boi incrustados na parede da sala principal da galeria. Galeria Laura Marsiaj, Rua Teixeira de Melo, 31 , Ipanema (2513-2074). 3ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 11h às 16h. Grátis. Até 3 de dezembro.

DESENHO PARA PAISAGEM / NENA BALTHAR - A prática artística de Nena Balthar trata de instantes de nossa vida cotidiana transpostos para uma narrativa de gestos. Possui como vetor reflexões sobre o desenho e suas relações com o corpo, com o movimento, com o som e com a dança. As obras se inserem nesse contexto e estão relacionadas à energia que se dispensa para realizar um desenho, implicando em um ato coreográfico e nos afetos sobre o corpo pela ação de desenhar. São obras em vídeo, fita crepe e fotografia e fazem parte da série denominada desenhos performáticos. Sesc Niteroi, Rua Padre Anchieta, 58, Centro. 3ª a sáb., das 8h às 17h. Grátis. Até 13 de novembro. 

DESVIANTES / ANA MARIA TAVARES - A exposição individual apresenta o primeiro dos quatro trabalhos de uma série da artista com o título Hieróglifos sociais, resultado de uma pesquisa feita desde 1997. A série propõe uma reflexão crítica sobre o modernismo brasileiro. Galeria Silvia Cintra, Rua das Acacias, 104, Gávea (2521-0426). 2ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 12h às 18h. Grátis. Até 19 de novembro.

EM TORNO DA ESCULTURA - A exposição ocupa todo o espaço expositivo da galeria com treze obras, sendo algumas inéditas, de importantes artistas do acervo, tendo como enfoque a escultura e outras linguagens que exploram a tridimensionalidade. Com curadoria de Guilherme Bueno, a mostra possui obras de Ana Holck, Ana Linnemann, Angelo Venosa, Antonio Manuel, Carla Guagliardi, Carlos Bevilacqua, Daisy Xavier, Estela Sokol, Felipe Cohen, Gonçalo Ivo, Gustavo Speridião, Ivens Machado e Otavio Schipper. Serão apresentadas obras em diferentes materiais, técnicas e suportes, como acrílico, ferro, aço inox, madeira, vidro, mármore, entre outros. Anita Schwartz Galeria de Arte, Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea (2274-3873). 2ª a 6ª, das 10h às 20h; sáb., das 12h às 18h. Grátis. Até 7 de janeiro.

ESPAÇO DE ARTE URBANA - A manifestação artística que usa o espaço urbano como suporte tem sido levada para as galerias e museus do mundo todo por uma nova geração de artistas. A tendência chega à Blooks Livraria com a exposição de trabalhos de dez jovens talentos da street art, como Ruan D´Ornellas e Mariana Moyses. Blooks Livraria,  Praia de Botafogo 316, Botafogo (2559-8776). 2ª a dom, 12h30 às 22h (nos sábados até meia-noite). Permanente.

FELIPE CAMA - Na individual, o artista apresenta 16 trabalhos das séries “O que te seduz” (2003/2004), “Foi assim que me ensinaram” (2005), “Nus versus” (2007-2009), “After Post" (2010) e "Paisagens Street View" (2011). Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rua Barão de Jaguaribe 387, Ipanema. 2ª a 6ª, das 10h às 19h. Grátis. Até 18 de novembro.

FLOREANDO - Os fotógrafos Ana Rodrigues e Daniel Chiacos apresentam imagens das mais variadas flores no mezanino do Espaço Sesc, em Copacabana, de registros feitos na Bolívia, Califórnia, Espanha, Paris, Peru, São Paulo e Rio. Curadoria de Cláudia Tavares. Espaço Sesc, Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana (2547-0156). 2ª a 6ª, das 12h às 20h. Até 18 de dezembro.

FRANZ WEISSMANN [1911-2005] - [1911-2005] - A mostra conta com 76 obras emblemáticas do grande escultor, um dos expoentes do Neoconcretismo, e que ocupa um lugar de destaque na arte brasileira. As obras, selecionadas pelo curador Max Perlingeiro, darão ao público a possibilidade de acompanhar o pensamento desse artista fundamental e capaz de operar mudanças nos conceitos existentes até então no país. Pinakotheke Cultural, Rua São Clemente 300, Botafogo. 2ª a 6ª, das 10h as 18h. Sáb., das 10h às 16h. Grátis. Até 3 de dezembro. 

FRONTEIRIÇOS - Coletiva apresenta as obras dos artistas Alessandro Sartore, Bruno Miguel, Carolina Ponte, Caroline Valansi, Felipe Cohen, Hugo Houayek, Ivan Grilo, Jaqueline Vojta, Letícia Lampert, Marcos Cardoso, Matias Mesquita, Nazareno, Rodrigo Torres, Siri e Wagner Malta Tavares, com curadoria de Daniela Name. Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rua Barão de Jaguaribe 387, Ipanema. 2ª a 6ª, 19h. Grátis. Até 18 novembro.

GABRIEL CENTURION: GRAFITE NA CAVERNA DE BITS - Semionauta navegando num mar de dados sem início nem fim, Gabriel Centurion coleta signos e processos de formação de imagens relacionados às técnicas do  grafite. Na individual, o artista paulistano coloca uma inflexão oriental à street art. Nos trabalhos, que têm uma estética entre as gravuras japonesas e a colagem videográfica, utiliza personagens como os Transformers, coelhinhos e o ursinho Pooh. Galeria Artur Fidalgo, Rua Siqueira Campos, 143, lojas 147 e 150, Copacabana (2549-6278). 2ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 10h às 14h. Grátis. Até 26 de novembro.

GUILHERME KRAMER - Na primeira individual no Rio de Janeiro, o artista paulistano, de 33 anos, apresenta desenhos em nanquim em grande formato, feitos com bico de pena, além de gravuras, ladrilhos e bancos. Reserva +, Rua Francisco Otaviano, 67, Ipanema (2227-1192). 2ª a 6ª, 9h às 21h; sáb., das 9h às 19h; dom., das 12h às 18h. Grátis. Até 10 de novembro. 

IMATERIAL - O artista plástico e designer Petrillo faz um trabalho inspirado em plantas de levantamento topográfico, pranchas que servem para descrever o relevo dos terrenos. A a exposição conta com 25 pinturas. Almacén Galeria, Av. Ayrton Senna 2150, loja G, Barra da Tijuca. 2ª, das 12h às 22h; 3ª a sáb, das 10h às 20h. Dom., 15h às 21h. Grátis. Até 13 de novembro.

INFINITOS ESCONDIDOS - Na mostra, a artista plástica Gisela Milman discute questões referentes ao universo feminino, um dos pilares de seu trabalho, por meio de séries de fotos, vídeos e de uma vídeoinstalação onde se utiliza figuras de contos de fadas. Solar de Botafogo, Rua General Polidoro, 180, Botafogo (2543-5411). 2ª a 6ª, das 18h às 22h; sáb. e dom., das 15h às 20h. Grátis. Até 4 de dezembro. 

JOÃO MODÉ - Depois de ocupar o sótão da galeria em 2007 com a exposição 'A cabeça', João Modé apresenta no espaço expositivo desenhos, fotografias e objetos feitos com materiais diversos que se relacionam com a idéia de malha. Uma grande rede [material usado pelo artista a mais de uma década] conecta as duas salas da galeria. A gentil carioca, Rua Gonçalves Ledo, 17, Sobrado, Centro (2222-1651). 3ª a 6ª, das 12h às 19h; sáb., das 12h às 17h. Grátis. Até 24 de novembro.

MATRIZ DIGITAL URBANO - Coletiva de doze alunos do curso Matriz Digital reúne a apresentação do 8 Digital Urbano, uma ação coletiva criada a partir de projeções nas fachadas internas do pátio central da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, por meio da interação entre som, imagens ao vivo, vídeo e poesia digital produzidos em tempo real pelos participantes. Parque Lage, Jardim Botânico, Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico (3257-1800). 2ª a 5ª, 9h, 22h; 6ª a dom., 9h, 17h. Grátis. Até 20 de novembro.

MENINAS DO RIO -  Ana Stweart apresenta 25 retratos em grandes formatos, de mulheres da Zona Norte e das regiões serrana e metropolitana do Rio, feitas com uma câmera antiga, a Hasselblad. A mostra com imagens que captam a relação entre as personagens clicadas e seus lares, suas famílias e seus caprichos, é o resultado de um trabalho de dez anos. Galeria da Gávea, Rua Marquês de São Vicente, 431, Gávea (2274-5200). 2ª a 6ª, das 10h (agendar visita por telefone); sáb., das 11h às 18h. Grátis. Até 20 de novembro.

MODELO VIVO - A exposição é o resultado de oficina onde os alunos aprendem a desenhar a partir da observação de modelos. A seleção dos cinco artistas foi baseada na passagem do período de aprendizado e domínio do desenho para o início de pesquisa de uma linguagem pessoal. Todos os trabalhos foram realizados em sala de aula. Parque Lage, Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico (3257-1800). 2ª a 5ª, das 9h; 22h; 6ª a dom., 9h;17h. Grátis. Até 20 de novembro.

NATUREZA IMPERMANENTE / KILIAN GLASNER - A artista pernambucana Kilian Glasner faz exposição individual. Na mostra ela apresenta dez desenhos em grande formato feitos com pastel seco sobre papel. Além disso ainda realiza uma intervenção no piso da galeria realizada com adesivo em vinil. Suas obras questionam as diferentes formas de representação da paisagem. Galeria Laura Marsiaj, Rua Teixeira de Melo, 31 c, Ipanema (2513-2074). 3ª a 6ª, das 10h30 às 19h; sáb., das 12h às 18h. Grátis. Até 8 de novembro. 

OBJETOS EXTREMOS / ICLÉA GOLDBERG – Sete esculturas em grande escala, que se relacionam entre si, mas mantêm a individualidade dentro do conjunto. A exposição segue a mesma linha de raciocínio de “Ver é Sair de Si” – no “Projeto Zona Instável” – apresentada nas Cavalariças da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, em 2005/ 2006. Utilizando madeira, borracha, couro e aço inox, a artista elege como ícones alguns objetos que funcionam como metáforas e que estão no seu imaginário. Galeria Anna Maria Niemeyer (filial Baixo Gávea), Praça Santos Dumont, 140A, Baixo Gávea (2540-8155). 3ª a 6ª, das 12h às 21h; sáb. e dom., das 14h às 18h. Grátis. Até 6 de novembro. Sáb., 5 de novembro, haverá o lançamento do catálogo da exposição.  

OBRAS RECENTES / FLAVIO-SHIRÓ - Com mais de 25 pinturas a óleo sobre tela e suportes especiais, Flávio-Shiró vem mostrar trabalhos em diversos formatos que têm como dado característico em comum a presença da textura matérica da tinta. Entre as obras desenvolvidas no Rio e em Paris, pela primeira vez há retratos imaginários de personagens como os compositores Igor Stravinsky e Richard Wagner e o escritor Miguel de Cervantes. Dessa maneira, o artista se coloca entre o expressionismo figurativo do início de sua carreira e o abstracionismo informal: dois importantes momentos de sua trajetória profissional entre os quais sempre oscilou. Gustavo Rebello Arte, Av. Atlântica 1702, Loja 8, Copacabana (2548-6163). 2ª a 6ª, das 12h às 20h; sáb., das 14h às 18h. Grátis. Até 19 de novembro. 

REGINA CABRAL DE MELLO - A designer e artista plástica carioca expõe 20 fotografias de cenas e detalhes do cotidiano que normalmente passariam despercebidos. Showroom Hetty Goldberg, Av. Ataulfo de Paiva, 135, sala 410, Leblon. Grátis. Até 2 de dezembro.  

SONIA ANDRADE – RESTROSPECTIVA 1973-1994 - A mostra apresenta um recorte temporal de sua trajetória com a apresentação simultânea e inédita de trabalhos realizados nestas duas décadas, através dos quais se pode vislumbrar a construção da poética da artista. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, Rua Luís de Camões, 68, Centro (2232-2213 / 2232-4213). 2ª a 6ª, das 11h às 18h; sáb., dom. e feriados, das 11h às 17h. Visitadas monitoradas: de 3ª. a 6ª  durante todo o período da exposição. Grátis. Até 27 de novembro. 

TEMPO FUTURO / FUTURO DO TEMPO - Coletiva de onze artistas (Luiza Baldan, Joana Traub Csekö, Ana Angélica Costa, Claudia Hersz, Claudia Tavares, Eduardo Delfim, Keyla Sobral, Rebeca Rasel, Renata Ursaia, Tom Lisboa e Patricia Gouvêa) apresenta trabalhos em vídeo, fotografia e web art. Uma das novidades é uma obra em papel da artista paraense Keyla Sobral, com uma série de desenhos com nanquim. Ateliê da Imagem, Av. Pasteur, 453, Urca (2541-3314). 2ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb, das 10h às 17h. Grátis. Até 10 dezembro.

TOY ART SHOW - Primeira individual do artista visual Ozi em uma galeria carioca, celebra os 28 anos de carreira profissional de um dos precursores da street art no Brasil. Ozi aborda nesta série o impacto da violência e do sexo sobre o comportamento infantil. O nome da exposição faz uma alusão aos itens de coleção para adultos: A mostra terá 17 telas inéditas que remeterão o observador ao “estranho mundo de Ozi", como ele mesmo o denomina. Todas as telas são feitas com a técnica de estêncil. Pela primeira vez, o artista irá exibir algumas de suas esculturas e objetos, dentre os quais a bomba com ursinhos de pelúcia promete chamar atenção. Uma instalação feita de adesivos servirá de pano de fundo para algumas telas, e a vitrine também será adesivada, num jogo de “mostra e esconde”. Shopping Cassino Atlântico, Avenida Atlântica, 4240, lj 224, Copacabana. 2ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 13h às 19h. Até 4 de novembro.

VIZINHOS DISTANTES - Há mais de duas décadas Ende divulga a imagem do Brasil através de inúmeras publicações, exposições e documentários, principalmente na Alemanha. Desde 2008, ele se dedica ao projeto “Vizinhos Distantes” como fotógrafo e curador de mostras que contribuem para a aproximação cultural dos dois países emergentes mais influentes – Brasil e China. Assim o fotógrafo alemão mostra que Brasil e China têm em comum as mazelas do capitalismo globalizado gerador de exclusão social e populações com espírito alegre e cordial, hospitaleiras para o outro que chega de fora. Galeria Plano B, Rua das Laranjeiras, 36 A, Laranjeiras. 2ª a 6ª, das 10h às 20h; sáb., das 10h às 16h. Até 17 de novembro.

Tags: Exposições, artes plásticas, ccbb, ccjf, debates, encontros, mac, mam, mostras, museus

Compartilhe: