Jornal do Brasil

Segunda-feira, 21 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Cultura - Programa

Crítica: 'Desassossego (Filme das maravilhas)'

Jornal do Brasil Aurélio Aragão

Sangue. Nudez. Explosões. Violência. Todo esse cardápio está presente em Desassossego. Mas certamente de um jeito bastante distinto daquele que estamos acostumados a encontrar nas obras que via de regra tomam de assalto as salas de cinema. 

O filme parte de uma provocação. Quatorze cineastas receberam uma carta (supostamente inspirada em um bilhete de uma adolescente de 16 anos) e a partir dela realizaram, sozinhos ou em duplas, os nove curtas que compõem Desassossego. Como todo filme de fragmentos, os caminhos são diversos e alcançam resultados bastante variáveis. Estabelecer uma distinção entre eles a partir dos parâmetros usuais é uma empreitada inglória.

O filme infantil é um convite sensorial à experiência de um dia brincando em um parque de diversões

Tentar classificá-los por gênero, por exemplo, pode nos conduzir a uma deliciosa impossibilidade. A ficção científica em Desassossego se apresenta hora como uma aventura futurista em um apartamento quarto e sala, hora como um violento duelo entre uma jovem guerreira tupiniquim e o desenho de um robô, na Floresta da Tijuca. O filme infantil é um convite sensorial à experiência de um dia brincando em um modesto parque de diversões. E o filme cartão-postal do Rio de Janeiro é feito a partir de pedaços de corpos normais, em que ficam evidentes o suor, as gorduras a mais ou a menos, e as combinações de biquínis e sungas de cores e estampas improváveis.

Como a carta que lhe dá origem, Desassossego é uma provocação. Podemos aceitá-la de guarda baixa e nos oferecermos à possibilidade de sermos apanhados pelas inusitadas experimentações que ele propõe. Ou podemos recusá-la de antemão e com isso enveredar pela dolorosa tarefa de juntar os cacos dos fragmentos narrativos que se apresentam ao longo do filme.

De qualquer forma, em um mundo dominado pela conformidade e pelo ceticismo, Desassossego traz como mérito a pretensão de acreditar naquilo que propõe como olhar sobre o mundo. E o risco que o filme corre é que justamente essa crença seja entendida apenas como a afirmação da própria pretensão. 

Cotação: ** (Bom)

Veja aqui o trailer de 'Desassossego (Filme das Maravilhas)



Tags: Critica, desassossego

Compartilhe: