Jornal do Brasil

Terça-feira, 22 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Pedro Simon

A história faz justiça

Pedro Simon*

O presidente João Goulart será finalmente sepultado com honras de chefe de Estado, 37 anos depois de sua morte no exílio em circunstâncias que ainda hoje são objeto de investigação. As ditaduras latino-americanas, com respaldo dos Estados Unidos, promoviam uma feroz repressão contra os opositores, ignorando fronteiras e agindo sob o manto tenebroso da Operação Condor. 

Jango repousa no cemitério de São Borja, cidade onde nasceu, no Rio Grande do Sul. Está ao lado do túmulo do estadista Getúlio Vargas, também falecido tragicamente. Nesta semana, seus restos mortais serão exumados e levados a Brasília, para exames que possam identificar as causas da morte. 

Oficialmente, um ataque cardíaco o surpreendeu enquanto dormia. Mas as suspeitas jamais amainaram, tendo em vista a coincidência das mortes do ex-presidente Juscelino Kubitschek e do ex-governador Carlos Lacerda. Todas aconteceram na mesma época e em meio às articulações para a criação da Frente Ampla contra a ditadura, ideia abortada com o desaparecimento de seus principais líderes.

A história está fazendo justiça e colocando em termos devidos mais do que a recuperação da memória nacional com relação a um presidente eleito, que realizou em curto período um governo progressista e nacionalista. A democracia não estará completa sem o conhecimento da verdade, e se consolidará também por meio de gestos simbólicos como as exéquias de Jango.

O mesmo sentido tem a iniciativa do senador Randolfe Rodrigues, que conta ainda com a minha assinatura, ao propor no Senado a anulação do infame Ato Institucional número 1. Editado pelos golpistas em 1º de abril de 1964, o texto constituiu uma tentativa grotesca de formalizar num Congresso emasculado a deposição de Jango, uma violência que se praticava contra o povo brasileiro. Com o AI-1, o primeiro de uma série, a noite do autoritarismo cobriu o Brasil. Cabe ao Senado agora restaurar a verdade histórica.

*Pedro Simon é senador pelo PMDB/RS.



Tags: Simon, coluna, história, pedro, resgate

Compartilhe: