Jornal do Brasil

Terça-feira, 17 de Julho de 2018 Fundado em 1891

País

Álvaro Dias é possibilidade nas negociações dos candidatos do centrão

Com 4% nas pesquisas, senador do Podemos é cobiçado para alianças

Jornal do Brasil EDLA LULA, edla.lula@jb.com.br

Com o meio de campo embolado no jogo eleitoral, o nome do pré-candidato à Presidência da República Álvaro Dias (Podemos- PR), tem circulado com mais frequência como uma possibilidade nas negociações dos candidatos do chamado centrão. Mesmo quando não aparece como uma opção de cabeça na chapa, ele é citado como alguém que desequilibra na contagem de votos e, por isso, precisa ser conquistado. 

O candidato tem contra si o fato de ser conhecido apenas nas regiões Sul e Sudeste - por ter sido governador do Paraná e atual senador representando o estado - e não possuir estrutura partidária que o faça expandir para o Norte. Mas interlocutores que participam das negociações acreditam que as vantagens se sobrepõem. Nas pesquisas de intenção de voto, Dias aparece com 4% na preferência do eleitorado, percentual bem próximo ao de Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), que ficam com 6%. Mas no quesito “rejeição”, ele é o que possui menores índices. Na última pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao IBOPE, enquanto Alckmin aparece com 22% de rejeição e Ciro com 18%. Dias possui apenas 9%.

Para o senador Álvaro Dias, o Centrão vai errar se apoiar Ciro ou Alckmin

A performance se repetiu na pesquisa encomendada pelo Democratas para decidir sobre qual candidato o partido deve apoiar. O presidente da sigla, Antônio Carlos Magalhães Neto, tem dito que uma ala considerável do partido gostaria da aliança com Dias não apenas pelo potencial eleitoral mas pelo programa político, que coincide com o perfil democrata.

Pedra no sapato do candidato Geraldo Alckmin (SP), Álvaro Dias ameaça roubar votos do tucano. Egresso do PSDB, o senador possui simpatizantes dentro do partido e forte presença no colégio eleitoral do ex-governador paulista.

“Neste jogo, eu sou uma zebra”, brinca o pré-candidato ao negar que negocie a composição da chapa como os tucanos, na condição de candidato a vice de Alckmin. “Sou e serei candidato a Presidente até o último domingo de outubro”, garante.

Dias esteve recentemente com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que lidera o manifesto pela convergência de todos os partidos para um único candidato do centro. Segundo ele, FHC apelou para a importância da união entre os candidatos mas não fez qualquer oferta. 

“Ao PSDB interessa tanto um vice do Nordeste quanto alguém do Sul. O Álvaro Dias seria um bom nome”, diz um tucano que faz as costuras para a aliança. 

Dias aposta que estará no segundo turno das eleições por um erro na decisão do centrão. Para ele, o centrão errará se apoiar Ciro ou se apoiar Alckmin. “O Ciro não terá nem o voto da esquerda, que ficará com o candidato do Lula nem o da direita, que não se identifica com ele”, opina. Já o Alckmin, ele diz, não vai evoluir nas pesquisas. “É por isso que eu acredito que dará zebra”, conclui.



Tags: alckmin, centro, ciro, eleições, lula, álvaro dias

Compartilhe: