Jornal do Brasil

Quinta-feira, 21 de Junho de 2018 Fundado em 1891

País

Defesa Civil diz que prédio que desabou foi construído de forma irregular

Jornal do Brasil

Um prédio residencial de três andares desabou no início da manhã desta terça-feira, 13, em Alto de São João, bairro de Pituaçu, área pobre da orla de Salvador. Das sete pessoas que estavam no local, quatro morreram na hora. Chovia e ventava forte. Segundo o Corpo de Bombeiros, as obras de construção do imóvel duraram dois anos e foram concluídas há quatro meses. 

Robert de Jesus, de 12 anos, um bebê identificado como Artur, de 1 ano, Alan Pereira de Jesus, de 31 anos, e Rosemeire Pereira de Jesus, também de 31 anos, morreram presos entre os escombros. O último corpo a ser resgatado foi o de Rosimeire, por volta das 13h30. 

As três pessoas retiradas com vida foram encaminhadas para o Hospital Geral do Estado (HGE). São elas Alex Pereira de Jesus, de 29 anos, responsável pela construção do imóvel, a mulher dele, Maria Conceição Bispo de Santos, de 30 anos, e a filha do casal, Sabrina Bispo de Jesus, de 1 ano. Eles foram retirados logo após o desmoronamento, com a ajuda dos vizinhos. Não há informações de que corram risco de morte. 

Segundo moradores da região, o prédio desabou após um forte estalo. Apenas a escada da construção ficou de pé. 

De acordo com o diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sóstenes Macedo, o prédio foi construído de forma irregular, sem observar regras técnicas básicas de construção civil. 

"Trata-se de uma construção irregular, de risco iminente. O prédio era composto por três pavimentos, térreo e dois andares, que não resistiram com a chuva", disse, acrescentando que ainda será realizado um levantamento em outras construções na região, para identificar se há novos riscos de desabamento.

Após um longo período de intenso calor, a capital baiana amanheceu sob chuva forte. De acordo com a Climatempo, foi uma chuva considerada "excepcional e muito acima do normal para esta época". Em alguns bairros choveu cerca de 100 mm em seis horas, embora a maior parte da chuva tenha caído em apenas duas horas.

Em nota a prefeitura de Salvador lamentou o ocorrido e informou que está prestando assistência às famílias atingidas pelo desabamento.

Segundo os bombeiros, o edifício desabou por volta das 6 horas da manhã. As informações iniciais eram de que havia um casal e uma criança no local.

Ao menos seis unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestaram atendimento no local, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde do município.

Fonte: Estadão conteúdo



Tags: bahia, desabamento, irregularidades, predio residencial, salvador

Compartilhe: