Jornal do Brasil

Sábado, 24 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

País

Músico morre vítima de febre amarela em Belo Horizonte

Presidente da Empresa de Comunicação tinha canções gravadas com Milton Nascimento e Toninho Horta

Jornal do Brasil

O presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, morreu às 7h30 desta quinta-feira (18) em Belo Horizonte. Músico, produtor e compositor, ele estava internado desde o dia 11 no Hospital Mater Dei, onde foi diagnosticado com febre amarela. Em nota, a rede hospitalar confirmou que a morte resultou de uma complicação derivada da doença.  Ele deixa a mulher e uma filha.

O velório será realizado nesta quinta, entre 17h30 e 0h, e na sexta, das 8h às 10h, na Sala Minas Gerais, Barro Preto, em Belo Horizonte. A Secretaria de Cultura de Minas informou que o corpo seguirá para o Cemitério Parque da Colina, onde ocorrerá o sepultamento, restrito a familiares e amigos. 

Segundo dados da Secretaria de Saúde de Minas Gerais divulgados nesta quinta-feira (17), de julho do ano passado a junho deste ano, foram confirmados 22 casos de febre amarela no estado, dos quais 15 pacientes morreram - 46 casos continuam sob investigação. A maior prevalência é entre pacientes do sexo masculino (95,5%), que totalizam 21 das ocorrências.

Presidente da EMC, Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, morreu de febre amarela
Presidente da EMC, Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, morreu de febre amarela

Flávio Henrique Alves de Oliveira tinha mais de 180 músicas gravadas, repertório construído na companhia de nomes como Paulo César Pinheiro, Chico Amaral, Milton Nascimento e Toninho Horta. Em sua carreira, lançou um DVD e oito CDs autorais, sendo Zelig o mais recente, de 2012.  Ele era integrante do quarteto Cobra Coral, em que ficava entre o microfone, as cordas do violão, o piano e o teclado.

EMC

A Empresa Mineira de Comunicação foi criada no ano passado, quando passou a administrar a Rádio Inconfidência e a Rede Minas. Fundada por Tancredo Neves, a Rede Minas é uma emissora pública que distribui conteúdo a 765 municípios mineiros, por meio de estações retransmissoras, de prefeituras e de 50 TVs educativas afiliadas. 

A Secretaria de Estado de Cultura de Minas divulgou uma nota de pesar:

NOTA DE FALECIMENTO

A música, a cultura e a comunicação de Minas Gerais amanheceram de luto nesta quinta-feira (18). Flávio Henrique Alves, presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), faleceu nesta manhã em decorrência de complicações posteriores ao quadro de febre amarela. Além de músico talentoso e compositor reconhecido, Flávio atuou com destaque na Rádio Inconfidência, onde também ocupou a presidência. Sua dedicação foi fundamental durante a transferência da Rádio e da Rede Minas para as novas instalações das emissoras, bem como na implantação e integração da Empresa Mineira de Comunicação (EMC). Seu sorriso, seu jeito carinhoso, sua dignidade e sua música ficam marcadas em nossa memória e em nossos corações. O Governo de Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Cultura e todo o Sistema Estadual de Cultura lamentam essa imensa perda e enviam condolências a familiares e amigos. “Flávio Henrique foi, como gestor público, o que sempre foi como artista. Uma pessoa leal e digna que pôs o seu talento a serviço da cultura de Minas Gerais e do Brasil. Todos nós sentimos profundamente a sua partida”, disse o secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo.

Flávio deixa esposa e uma filha.

Informações sobre velório e sepultamento serão enviadas em breve.

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA DE MINAS GERAIS

GOVERNO DE MINAS GERAIS

Tags: febre amarela, morte, postos, saúde, suspeita, vacina

Compartilhe: