Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

País

Apesar da decisão da Justiça, greve de policiais prossegue no RN

Jornal do Brasil

Policiais civis do Rio Grande do Norte mantiveram a greve que teve início no dia 20 de dezembro, trabalhando apenas em regime de plantão, mesmo após o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte ter considerado o movimento ilegal e determinado a prisão de policiais da ativa e da reserva que incentivem, promovam ou defendam a greve.

A categoria cobra o pagamento dos salários de novembro, dezembro e do 13º. O estado vive uma onda de violência após a paralisação afetar o policiamento. O governo federal enviou 2,8 mil homens e mulheres das Forças Armadas, no último final de semana, para reforçar a segurança.

Além da Polícia Civil, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros também paralisaram as atividades 
Além da Polícia Civil, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros também paralisaram as atividades 

Além da Polícia Civil, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros também paralisaram as atividades cobrando salários atrasados.

Justiça suspende liminar que permitia RN pagar salários com dinheiro da saúde

O juiz Eduardo Dantas, da 14ª Vara Federal do Rio Grande do Norte, suspendeu na terça-feira (2) uma liminar (decisão provisória) da Justiça do estado que havia permitido o uso de recursos da saúde, repassados pela União, para o pagamento de salários atrasados de servidores.

O magistrado afirmou que a medida seria uma afronta aos direitos dos cidadãos de ter acesso a serviços de saúde.

A liminar, concedida no último dia 30 pelo desembargador Cornélio Lopes, do Tribunal de Justiça do RN, atendia a um pedido da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros do Estado do Rio Grande do Norte.

Na decisão, Lopes autorizou o governo do estado a utilizar mais de R$ 225 milhões repassados pela União para pagar o salário atrasado de servidores. A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu, argumentando que o remanejamento da verba é inconstitucional. O órgão destacou também que o dinheiro foi repassado após o estado declarar calamidade na área da saúde, não podendo ter sua destinação modificada.

Tags: agentes, greve, norte, polícia, rio, segurança

Compartilhe: