Jornal do Brasil

Quinta-feira, 26 de Abril de 2018 Fundado em 1891

País

Veto de Sarney cria mal-estar entre Temer e partido da base aliada

Presidente do PTB, Roberto Jefferson diz que Temer informou sobre "veto"

Jornal do Brasil

O veto do ex-presidente José Sarney (PMDB) à nomeação do deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA) para o Ministério do Trabalho, nesta terça-feira (2), gerou impasse e mal-estar entre o presidente Michel Temer e o PTB, um dos principais da base aliada.

Segundo o presidente do PTB, Roberto Jefferson, Temer, em ligação telefônica, admitiu que o recuo do governo é decorrente do pedido de Sarney, tendo em vista que Pedro Fernandes é alinhado ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Reverberando as críticas do PTB a Sarney e a Temer, que vem recebendo ajuda do partido no Congresso Nacional para a aprovação de medidas do governo federal, Jefferson disse, ainda, que o partido deve adiar para final de janeiro ou início de fevereiro a indicação de um nome alternativo ao de Pedro Fernandes. O objetivo é esperar "a poeira baixar" e criar menos mal-estar com o nome do preterido.

Presidente do PTB disse que deve esperar "poeira baixar" para indicar um nome alternativo

Por meio de sua assessoria de imprensa, Sarney nega que tenha sequer sido consultado pelo governo sobre a viabilidade do nome de Pedro Fernandes à frente da pasta, que está sem titular desde a semana passada, quando Ronaldo Nogueira, também deputado do PTB, pediu demissão para se dedicar à campanha eleitoral.

Mais cedo, Fernandes disse que o governo desistiu de nomeá-lo porque o ato causaria "embaraço" entre Temer e Sarney. Na semana passada, após a demissão de Nogueira, Pedro Fernandes divulgou o convite por parte do líder do PTB, Jovair Arantes (GO), que já teria sido avalizado por Temer. Na ocasião, Fernandes afirmou que a posse do cargo seria na próxima quinta-feira (4), em cerimônia no Palácio do Planalto.

“Depois do susto, a gente ponderou e acabou aceitando. Já não era minha pretensão concorrer [às eleições de 2018], já estou com cinco mandatos, eu já estava pensando em parar, talvez tenha sido isso que tenha ajudado a me escolher, talvez”, disse o deputado, na ocasião do convite.



Tags: brasil, governo, maranhão, ministério, nomeação, planalto, política, temer, veto

Compartilhe: