Jornal do Brasil

Segunda-feira, 16 de Julho de 2018 Fundado em 1891

País

Crítico da esquerda, Bolsonaro chamou Chávez de 'esperança latina' em 1999

Jornal do Brasil

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) vem viajando pelo país como parte da sua pré-campanha à Presidência da República em 2018. Conhecido pela sua crítica à esquerda brasileira, ele viu nesta semana uma notícia de 1999 ganhar as redes sociais.

Uma reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo em setembro daquele ano apresentou uma entrevista com Bolsonaro, então no PPB (atual PP), na qual o ex-capitão do Exército elogiava o então candidato à Presidência da Venezuela, Hugo Chávez.

"É a esperança para a América Latina e gostaria muito que esta filosofia chegasse ao Brasil", afirmava o deputado, dizendo ainda que Chávez lembrava o marechal Humberto Castelo Branco, primeiro presidente da ditadura militar (1964-1985).

"Acho que ele [Chávez] vai fazer o que os militares fizeram no Brasil em 1964, com muito mais força", continuou. Bolsonaro ainda negou ser contrário ao comunismo naquela época.

"Ele não é anti-comunista e eu também não sou. Na verdade, não tem nada mais próximo do comunismo do que o meio militar", completou o parlamentar brasileiro.

Matérias envolvendo Bolsonaro simpático à esquerda ressurgiram

A grande repercussão fez com que outras passagens de um Bolsonaro simpático à esquerda fossem recapitulados. Em uma entrevista alguns anos depois, já no início do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o parlamentar justificava assim uma aparição na Granja do Torto.

"As coisas mudaram. Hoje, comunista toma uísque, mora bem e vai na piscina", declarou ao jornal Folha de S. Paulo, defendendo a indicação de Aldo Rebelo, do PCdoB, para o Ministério da Defesa.

Em sua defesa, Bolsonaro usou as suas redes sociais para desmentir qualquer simpatia pela esquerda ou pelo comunismo, lançando mão de alguns vídeos. Em um deles, o deputado compartilhou um vídeo postado por um dos seus filhos, no qual ele ironiza a morte de Chávez, que teria supostamente sido tratado pela medicina cubana.

"Quero elogiar Hugo Chávez. Os esquerdinhas do Brasil, Lula, Dilma [Rousseff], [José] Genoino, quando tiveram problemas foram para o [hospital] Sírio Libanês. Foram salvos. Chávez não veio para o Sírio Libanês porque queria trazer uma grande comitiva de cubanos, que compunham a sua segurança. Foi se tratar com a 'melhor medicina do mundo', a cubana, e morreu. Parabéns Chávez, prepare o inferno para receber os líderes comunistas do Brasil", disse.

Em outro vídeo, Bolsonaro compartilhou uma entrevista de Chávez anterior ao seu primeiro mandato, na qual o líder venezuelano prometia não se perpetuar no poder.

Bolsonaro aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto para as eleições presidenciais de 2018 no Brasil. Já em cenários simulados sem o nome de Lula (que lidera a corrida, segundo os recentes levantamentos), o ex-capitão do Exército se situa em primeiro lugar.

Sputnik


Tags: aldo rebelo, brasil, comunismo, cuba, ditadura militar, eleições 2018, esquerda, hugo chávez, jair bolsonaro, luiz inácio lula da silva, política, socialismo, venezuela

Compartilhe: