Jornal do Brasil

Sábado, 18 de Novembro de 2017

País

"Pobre não tem hábito alimentar, pobre tem fome", reafirma Doria

Vídeo gravado em 2007 repercute nas redes sociais após polêmica da "ração" para pobres

Jornal do Brasil

Uma nova polêmica veio à tona na quarta-feira (18) envolvendo o composto alimentar apresentado pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), como carro-chefe de um programa municipal.

O produto, que ficou conhecido como "ração humana", foi alvo de críticas de diversos especialistas e nutricionistas. A discussão fez reaparecer nas redes sociais um vídeo de Doria gravado em 2007, época em que ele apresentava o programa de TV O aprendiz

No vídeo, Doria afirma que "gente humilde" não possui "hábito alimentar" e "tem que dizer graças a Deus" caso possa comer.

Presente na entrevista coletiva, o cardeal dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, buscou amenizar as palavras do prefeito: "Pobre tem fome. Hábito alimentar é para quem tem disponibilidade de alimento e quem pode se dar ao luxo de ter uma alimentação regular, refeições regulares, alimentos selecionados. O pobre não tem isso (...). Quem se arrasta no chão por fome, eu vou deixar de atender a fome dele porque ele não está podendo sentar numa mesa bem posta? A necessidade é socorrer primeiramente a fome do pobre".

Doria disse não se lembrar do vídeo, mas corroborou a afirmação de Scherer e voltou a dizer: "Pobre não tem hábito alimentar, pobre tem fome".

Assista ao vídeo

O suplemento alimentar deverá ser incluído na merenda das crianças em escolas e creches públicas e nas refeições dos centros de acolhida de moradores em situação de rua.

O objetivo, segundo explicou, é evitar o desperdício de alimentos que ainda são próprios para o consumo e complementar — e não substituir — os alimentos in natura.

>> Secretário de Doria faz careta ao provar 'ração' para moradores de rua. Veja o vídeo

>> Nem prefeito, nem presidente: Doria cai nas pesquisas e sofre desgaste

>> Lula critica Doria: "Não respeita as pessoas humildes desse país"

Tags: dilma, lava jato, lula, pt, sergio moro, temer, the guardian

Compartilhe: