Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

País

Caesb e Adasa negam ampliação de racionamento de água no Distrito Federal

Agência Brasil

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) negaram nesta quarta-feira (18) mudanças no sistema de racionamento de água efetivado no Distrito Federal (DF).

Nesta quarta-feira, circularam boatos em aplicativos de mensagens informando que a região passaria, desde já, a ter dois dias consecutivos sem abastecimento. Nos textos, a informação é atribuída à Caesb.

Barragem do Descoberto 
Barragem do Descoberto 

O racionamento no DF começou em meados de janeiro deste ano. Desde então, a entrega da água tem sido feita com um dia sem abastecimento (a partir das 8h), dois dias para religar e estabilizar o sistema e três dias de situação normalizada. Apenas os hospitais públicos e a Esplanada dos Ministérios não entram no rodízio.

Desde o início do plano, a agência estabeleceu uma curva de companhamento da água, com metas mensais para o volume dos reservatórios. Caso as metas não sejam atingidas – o que ainda não ocorreu – é que poderão ser adotadas medidas de racionamento mais rigorosas, disse a Adasa.

O plano atual é resultado da limitação na captação de água dos sistemas e Santa Maria e Descoberto. Apesar das restrições, a situação segue crítica. No início deste mês, a Adasa anunciou que os reservatórios atingiram os menores níveis já registrados: 27,8% e 14,3%, respectivamente.

A fim de amenizar o quadro, a agência intensificou a fiscalização dos irrigantes da bacia do Descoberto e ampliou o monitoramento, passando a medir o volume de vazão dos seus afluentes do Descoberto três vezes por semana. Antes, a verificação era semanal.

Tags: abastecimento, brasil, companhia, distrito federal, população, água

Compartilhe: