Jornal do Brasil

Sexta-feira, 20 de Outubro de 2017

País

'The Guardian': "Cura gay" causa indignação e suscita receios de reviravolta conservadora

Jornal lembra que decisão acontece após cancelamento de exposição sobre gays

Jornal do Brasil

Matéria publicada nesta terça-feira (19) pelo the guardian diz que um juiz brasileiro aprovou a "terapia de reversão" gay em uma decisão que provocou indignação generalizada e suscitou receios de uma reviravolta conservadora.

Segundo a reportagem Waldemar de Carvalho, juiz federal na capital de Brasília, anulou uma decisão de 1999 do Conselho Federal de Psicologia que proibiu os psicólogos de oferecer tratamentos amplamente desacreditados que afirmam "curar" os homossexuais.

Guardian destaca que esta decisão ocorre uma semana depois de um banco cancelar uma exposição de arte gay após protestos de grupos cristãos de direita e evangélicos, o que aumenta a o receio de que políticas progressistas pudessem ser revogadas.

Com hashtags como #curagay ("cura gay") no Brasil, os usuários do Twitter usaram memes e GIFs para ridicularizar a decisão, relata o Guardian
Com hashtags como #curagay ("cura gay") no Brasil, os usuários do Twitter usaram memes e GIFs para ridicularizar a decisão, relata o Guardian

"Esta decisão é uma grande regressão às conquistas progressivas que a comunidade LBGT teve nas últimas décadas", disse David Guardi, um conselheiro esquerdista do Rio de Janeiro e um dos poucos políticos abertamente homossexuais do país. 

"Como vários países do mundo, o Brasil está sofrendo uma onda conservadora".

"Não há como curar o que não é uma doença", disse Giannini ao Guardian. 

"Não é um debate acadêmico sério, é um debate ligado a posições religiosas ou conservadoras".

Ele observou que a decisão também disse que a pesquisa acadêmica em terapia de conversão sexual deveria ser permitida, o que o conselho nunca proibiu.

"Não temos poder sobre a pesquisa", disse ele. "A forma como foi colocada pelo juiz deu a impressão de que proibimos a pesquisa que não é verdade".

Com hashtags como #curagay ("cura gay") no Brasil, os usuários do Twitter usaram memes e GIFs para ridicularizar a decisão, relata o Guardian.

>> The Guardian

Tags: beleza, cirurgia, estética, medicina, mercado, negocios, saude

Compartilhe: