Jornal do Brasil

Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

País

Lula chega à sede da Justiça Federal para prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro

Jornal do Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já chegou à sede da Justiça Federal do Paraná para prestar depoimento ao juiz federal Sérgio Moro. Cercado por uma multidão, Lula percorreu a pé boa parte do percurso, enquanto apoiadores o acompanhavam com bandeiras e palavras de ordem. O depoimento começou por volta das 14h15. 

Lula deve ser questionado primeiro pelo juiz Sérgio Moro, depois pelo Ministério Público Federal e pelos advogados de defesa.

Por volta das 12h, dezenas de ônibus de apoiadores já tinham chegado ao local, que vai receber uma série de atos organizados pela Frente Brasil Popular. Por outro lado, grupos pró-Lava Jato espalharam outdoors anti-Lula pela cidade paranaense. 

A Polícia Federal montou esquema de segurança para a oitiva, que é relacionada a processo sobre suposta propina da Odebrecht em compra de terreno para o Instituto Lula e de apartamento. "O Instituto Lula nunca solicitou, nunca recebeu, nem nunca teve posse desse terreno. Houve uma única visita, nesse e em outros terrenos, em meados de 2011, sendo que esse terreno foi recusado, o que já foi dito em depoimentos nessa ação. Todas as doações feitas ao Instituto Lula foram legais e registradas", disse Lula em nota.

>> Lula depõe hoje a Moro sobre compra de terreno e apartamento pela Odebrecht

A Frente Brasil Popular realiza, a partir das 15h, na Praça Generoso Marques, Centro de Curitiba, a segunda “Jornada de Lutas pela Democracia”, em apoio a Lula. O ato inclui atividades culturais, como a apresentação do músico Pereira da Viola, de Minas Gerais, e de artistas curitibanos dos grupos Samba da Resistência e delGhetto, além de Elian Woidello.

Às 16h30, está programada uma aula pública sobre os métodos utilizados pela Operação Lava Jato, com a presença do ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão. O jurista é crítico à forma como a Operação tem sido conduzida.

Na sequência, será lançado o livro “Comentários a uma sentença anunciada: o processo Lula”, publicado pelo Projeto Editorial Práxis, com apoio do Instituto Joaquín Herrera Flores e Instituto Declatra. A obra, organizada por juristas, traz argumentos técnicos relativos à primeira sentença de Sergio Moro contra o ex-presidente. 

Por volta das 18h, começa o ato político que deve contar com a presença de Lula.

Confira nota do ex-presidente divulgada nas redes sociais sobre o terreno: 

O Instituto Lula nunca solicitou, nunca recebeu, nem nunca teve posse desse terreno. Houve uma única visita, nesse e em outros terrenos, em meados de 2011, sendo que esse terreno foi recusado, o que já foi dito em depoimentos nessa ação. Todas as doações feitas ao Instituto Lula foram legais e registradas. Marcelo Odebrecht e outras testemunhas disseram também, mas a edição da Globo provavelmente irá ignorar, que jamais houve intenção de doar o terreno ao Instituto, mas sim de vender ou alugar. Isso caso houvesse interesse no terreno, o que não aconteceu. Marcelo Odebrecht disse ainda que o terreno não tem qualquer relação com a Petrobras. Demerval Gusmao, dono da DAG, falou que comprou o terreno com recursos próprios, também contrariando a tese da acusação. As declarações de Palocci não são verdadeiras, não têm provas e visam a obtenção de benefícios penais junto aos promotores e ao juiz Sérgio Moro.

Assessoria de imprensa do ex-presidente Lula

Tags: depoimento, justiça, lula, moro, odebrecht

Compartilhe: