Jornal do Brasil

Terça-feira, 17 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Rio

Gilmar Mendes manda soltar mais três investigados em esquema de transporte no Rio

Jornal do Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes concedeu, nesta terça (22), habeas corpus a mais três pessoas ligadas a suposto esquema no transporte público do Rio de Janeiro, presas na Operação Ponto Final.

O ministro estendeu o habeas corpus e decretou medidas alternativas à prisão ao ex-presidente do Detro (Departamento Estadual de Transporte Rodoviário) Rogério Onofre, sua mulher Dayse Debora e David Augusto Sampaio, policial civil aposentado, apontado como dono da Trans-Expert. No total, nove investigados da Ponto Final já foram beneficiados por habeas corpus de Gilmar.

Os investigados terão que comparecer em juízo para informar e justificar atividades e estão proibidos de manter contato e de deixar o país, além de entregar o passaporte. Eles também devem cumprir recolhimento domiciliar noturno e estão suspensos de exercer atividades em sociedades e associações ligadas ao transporte coletivo de passageiros

Gilmar Mendes manda soltar mais três investigados em esquema de transporte no Rio

Na última sexta-feira (18), Gilmar Mendes mandou soltar o empresário Jacob Barata Filho, revogando a ordem de prisão que havia sido expedida na quinta-feira (17) pelo juiz federal Marcelo Bretas justamente após Mendes ter concedido habeas corpus ao empresário.

Também na sexta-feira, procuradores da Operação Lava Jato pediram o impedimento de Gilmar Mendes no caso do Jacob Barata, citando entre outros fatos que sua mulher participa de escritório que advoga para a família Barata, e que ele foi padrinho de casamento da filha do empresário.

Contudo, Gilmar Mendes já se manifestou descartando qualquer possibilidade de se declarar impedido: "Vocês acham que ser padrinho de casamento impede alguém de julgar um caso? Vocês acham que isto é relação íntima, como a lei diz?”, disse.

Jacob Barata Filho é suspeito de envolvimento em um esquema  que envolve empresas de ônibus do Rio de Janeiro e o ex-governador Sérgio Cabral, no qual teriam pago aproximadamente R$ 500 milhões em propinas. Barata Filho fora preso no aeroporto, quando embarcava para Portugal apenas com passagem de ida.

>> Procuradores pedem impedimento de Gilmar Mendes em ações contra Jacob Barata

>> "Ser padrinho de casamento impede alguém?", questiona Gilmar Mendes

>> Jacob Barata: 'JB' já havia alertado sobre 'insider' e informações antecipadas

>> Lava Jato: PF prende Jacob Barata Filho e cúpula do transporte rodoviário no Rio

>> Casamento da filha de Barata: protesto e segurança pública



Tags: gilmar, jacob, ministro, rio, stf, transporte

Compartilhe: