Jornal do Brasil

Terça-feira, 19 de Junho de 2018 Fundado em 1891

País

'Clarín': Situaçao de Lula agrava crise política do Brasil

Jornal diz que ele é acusado de aceitar terenos em troca de contratos milionários

Jornal do Brasil

Matéria publicada nesta sexta-feira (21) pelo Clarín conta que o juiz encarregado do caso "Lava Jato" no Brasil, Sérgio Moro, convocou o ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva em 13 de setembro para interrogatório por outro processo onde ele é acusado de corrupção.

O diário explica que o ex-presidente brasileiro vai comparecer perante o tribunal de Moro em Curitiba, sul do Brasil, e responder a acusações relacionadas com a empresa de construção Odebrecht envolvidos em corrupção não só no Brasil, mas também no Peru, Colômbia, República Dominicana e Argentina.

Lula será questionado por supostamente ter recebido um terreno oferecido pela Odebrecht onde construiu a sede do Instituto Lula em São Paulo, em troca da concessão de contratos lucrativos para obras de construção, informa o Clarín.

Até agora não se sabe se o ex-presidente vai viajar para Curitiba para o interrogatório, ou será realizado através de via videoconferência de São Pablo, para evitar os custos de excessivos de segurança.

O juiz Moro condenou Lula nos últimos dias a nove anos e meio de prisão no julgamento em primeira instância em outro caso no âmbito da "Lava Jato" mas ainda cabe recurso. Neste caso, o ex-presidente foi acusado e condenado por aceitar um imóvel no valor de 1,1 milhões de dólares da empresa de construção OAS em troca de contratos públicos. Espera-se, no entanto, que o processo leve vários meses.

Clarín exalta que apesar dos processos e condenação, ex-presidente ainda goza de grande apoio

Atualmente, Lula, presidente do Brasil de 2003 a 2010- tem um total de cinco processos abertos por corrupção, incluindo acusações de lavagem de dinheiro e obstrução da justiça, aponta o Clarín.

"Operação Lava Jato" é considerada como a maior investigação anti-corrupção da história do Brasil, cujos processos totalizam mais de um bilhão de dólares e envolvem gigantescas empresas estatais, como a Petrobras. Hoje, dezenas de políticos são acusados ​​de ter participado durante anos de um esquema de suborno ao redor do gigante do petróleo, relata o diário argentino.

Além disso, o atual presidente, Michel Temer conservador, foi relatado no âmbito do "Lava Jato" recentemente por ter supostamente se beneficiado de subornos.

Lula, por sua vez, anunciou que será um candidato presidencial em 2018 em resposta aos julgamentos, que define como uma perseguição política contra ele, acrescenta.

O ex-presidente ainda goza de grande apoio. Pesquisas recentes o colocam como favorito para ganhar a presidência com 26 por cento de apoio, cinco pontos acima de seu concorrente mais próximo, Jair Bolsonaro, do Partido Social Cristão.

Clarín observa que o destino de Lula será definido nos próximos meses, agravando a crise política permanente no país desde o impeachment do presidente Dilma Rousseff em 2016 e a deflagração do maior escândalo de corrupção da história do Brasil, finaliza.

> > Clarín



Tags: dilma, lava jato, lula, pt, sergio moro, temer, the guardian

Compartilhe: