Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Outubro de 2014

País

El País: "Mais que um acidente"

A morte do candidato do PSB pode complicar a reeleição da presidente Dilma Rousseff

Jornal do Brasil

Em artigo publicado na ultima sexta-feira, o El País afirma que o acidente aéreo que matou Eduardo Campos, terá, presumivelmente, mais repercussão do que a comoção causada pela morte prematura do político, considerado uma figura em ascensão. “Campos, ex ministro do governo Lula, era um dos rivais a se levar em consideração na campanha de Dilma, no entanto as expectativas de voto se revelaram insuficientes”, declarou o El País.

O jornal espanhol destaca que até o acidente de Eduardo Campos, as eleições tinham se resumido a uma disputa entre os dois principais candidatos, a presidente Dilma Rousseff e o candidato de centro-direita, “dito social-democrata”, Aécio Neves. Com ampla vantagem para a atual presidente, segundo as ultimas pesquisas, com 38% das intenções de voto, frente a 23% de Aécio. “A morte de Campos pode alterar substancialmente o script”, segundo o jornal espanhol, para quem o PSB designou Marina Silva como a principal candidata a ocupar o lugar de Campos.“A carismática ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula”, diz. O jornal espanhol destaca ainda que Marina Silva empurrou Dilma Rousseff para um segundo turno em 2010.

Segundo o El País, existe um desejo de renovação política entre os brasileiros e a ruptura do dialogo entre o PT e Aécio Neves. “Rousseff é a favorita, mas sua popularidade tem se deteriorado rapidamente com os problemas econômicos e as acusações de corrupção em seu governo”. O jornal ressalta que a aprovação de Dilma passou de 80% a menos da metade em um ano e meio e que o mal-estar popular tem sido mostrado através das constantes manifestações nos últimos anos, coincidindo com eventos esportivos de repercussão mundial.

O El País destaca que no Brasil tem crescido rapidamente uma classe média que busca transparência e serviços dignos e também uma enorme e decisiva quantidade de votos de jovens para a candidatura de Marina Silva, considerada “uma política pouco convencional, de origem humilde e impulsos idealistas”, que poderia representar um choque. Sendo ela uma aspirante de esquerda, levaria mais votos de Dilma do que de Aécio.

O jornal espanhol conclui que se a presença de Marina se confirmar na corrida pela presidência, tanto a presidente brasileira quanto o rival, Aécio Neves, terão que repensar sua estratégia. “Nesse novo cenário seria mais provável que haja um segundo turno em uma eleição que parecia firmemente concluída”.

Tags: Aécio Neves, dilma roussef, Eduardo Campos, el pais, Eleições, Marina Silva

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.