Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

País

Insper e FGV passam a adotar o Enem como uma das formas de ingresso

Agência Brasil

O Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) de São Paulo vai passar a usar a nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como forma de ingresso nas turmas de 2015. O Insper é uma instituição privada sem fins lucrativos, que oferece, na graduação, cursos de administração e economia.

Segundo o coordenador executivo de processos seletivos, Tadeu da Ponte, a intenção é abrir possibilidade para candidatos que não têm condições de ir a São Paulo  fazer o vestibular da instituição. "O Insper pretende ser uma faculdade que atraia potenciais intelectuais independente da renda ou do local onde a pessoa vive", diz Ponte.

Desde 2009 a instituição discute a utilização do Enem. O debate tornou-se mais intenso nos últimos três anos. Com base nas notas obtidas no exame pelos alunos que se classificaram no vestibular da instituição e fizeram também o Enem, o Insper chegou a uma nota mínima exigida. O estudante tem que tirar pelo menos 650 pontos em cada uma das cinco áreas do Enem e ter uma média em todas de 700 pontos.

Ponte diz que o exame, usado para o ingresso em diversas instituições públicas e privadas, tem o rigor necessário para selecionar os alunos. "Fizemos várias análises para chegar nessa nota de corte, que se equipara à dificuldade do nosso vestibular", diz. Ambos os cursos oferecidos pela instituição tem nota 4 nas avaliações do Ministério da Educação - a nota máxima é 5.

Os estudantes que se inscrevem pelo Enem não pagam taxa. O vestibular custa R$ 200. O candidato pode se inscrever nos dois processos seletivos. O Insper oferece 450 vagas por ano. Destas, 45 vagas (10%) serão para os candidatos do Enem. A instituição também oferece bolsas integrais e parciais de acordo com a nota obtida e a renda. Mais informações podem ser obtidas no site do Insper.

Outra instituição que adotará Enem é a Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo. Serão dois os cursos que aceitarão a nota no exame: administração de empresas, 15 das 200 vagas serão para o Enem; e administração pública, que reservará cinco das 50 vagas para o exame. Na FGV do Rio de Janeiro, o exame é aceito em seis cursos, com reserva de 20% das vagas. Mais informações no site da FGV.

Para Fortes, a utilização do Enem por instituições privadas é uma tendência. "Muitos alunos estão se preparando para o Enem no Brasil todo. É uma tendência tornar essa mais uma porta de acesso". O Enem 2014 será nos dias 8 e 9 de novembro. Mais de 8,7 milhões se inscreveram para as provas.

Tags: brasil, educação, Enem, instiruições privadas, são paulo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.