Jornal do Brasil

Domingo, 23 de Novembro de 2014

País

Entidades da indústria, dos bancos e do agronegócio lamentam morte de Campos

Agência Brasil

Entidades do setor privado, representativas da indústria, dos bancos e do agronegócio, lamentaram a morte do candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos. A morte foi confirmada após a queda, em Santos (SP), do jatinho Cesna 560XL em que o candidato e membros de sua equipe viajavam. O grupo vinha do Rio de Janeiro e teria compromisso político em Guarujá. 

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nota dizendo que a perda de Campos “entristece a todos e empobrece a política brasileira”. Segundo a CNI, o candidato tinha “determinação, espírito público, capacidade de gestão e habilidade de articulação política”. Para a entidade, essas características “fizeram dele um dos governadores mais bem avaliados do país e o colocaram entre os principais presidenciáveis”. A CNI expressou pesar e solidariedade aos parentes das vítimas.

Além de Eduardo Campos, faleceram seu assessor direto, Pedro Valadares; o assessor de imprensa da campanha, Carlos Augusto Percol; o cinegrafista Marcelo Lira; e o fotógrafo oficial, Alexandre Severo. Também morreram os pilotos da aeronave, Marcos Martins e Geraldo da Cunha. A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) divulgaram nota se dizendo “consternadas” com a morte de Campos. 

“O país perde um grande brasileiro, de trajetória política marcada por dedicação diante de suas convicções”, destacaram as entidades, que manifestaram solidariedade à família do candidato.

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) divulgou comunicado do seu presidente, Murilo Portugal. “Estou profundamente chocado com a trágica notícia da morte de Eduardo Campos. O Brasil e Pernambuco perderam um grande líder político e um administrador público competente. Mas meus pensamentos, neste momento, são para sua família, a quem estendo profundo pesar em meu nome pessoal, como seu admirador e amigo”, diz Portugal.

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) lembrou a presença de Eduardo Campos em sabatina realizada na última quarta-feira (6) com os três candidatos mais bem colocados nas pesquisas de intenções de votos.

“[Eduardo Campos] surpreendeu-nos, tal a firmeza e destemor com que se comprometeu a combater radicalismos, a buscar o equilíbrio e a estabelecer uma agenda programática para evitar improvisações oportunistas”, destaca o comunicado, assinado pelo presidente da CNA, João Martins da Silva Júnior. Segundo Martins, o candidato do PSB “inspirou respeito”. De acordo com a CNA, a notícia de sua morte foi recebida com “emoção e pesar” e representou a perda de uma liderança política promissora.

Tags: Campos, candidato, eduardo, morte, presidência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.