Jornal do Brasil

Terça-feira, 30 de Setembro de 2014

País

Campos era um economista que cresceu na política

Agência ANSA

O candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB), morreu nesta quarta-feira (13) em um acidente aéreo na cidade de Santos. Campos estava em terceiro lugar nas pesquisas eleitorais. Sua candidata a vice, Marina Silva, concorreu nas últimas eleições presidenciais em 2010 e ficou na terceira colocação. Ela não estava no voo.    

Campos tinha 49 anos e nasceu no Recife, no dia 10 de agosto de 1965. Ele era graduado em Economia e neto do também político Miguel Arraes. Filho do poeta e cronista Maximiano Campos com a ex-deputada federal e atual ministra do Tribunal de Contas, Ana Arraes, o economista cresceu em meio a grandes nomes da política nacional.    

Sua carreira política começou em 1987, como chefe de gabinete do governador Miguel Arraes. Em 1990, filiou-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) e foi eleito deputado federal em 1994, com 133 mil votos.    

Foi um dos principais articuladores políticos do início do governo Lula e, em 2004, foi ministro da Ciência e Tecnologia. No ano seguinte, assumiu a presidência do seu partido e, em 2006, foi eleito governador do estado de Pernambuco. Campos foi reeleito em 2010 para o cargo e deixou a função com cerca de 80% de aprovação da população.    

Em abril de 2014, ele lançou sua candidatura à Presidência da República ao lado de Marina Silva e, desde então, tinha um foco bem econômico em suas propostas. Campos também recebeu o prêmio da revista Época como um dos 100 brasileiros mais influentes de 2009 e em 2011. 

Tags: Campos, candidato, eduardo, morte, presidência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.