Jornal do Brasil

Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

País

Rodoviários e empresas não chegam a acordo e greve continua no Recife

Agência Brasil

Representantes dos trabalhadores e das empresas de ônibus do Grande Recife não chegaram a um acordo hoje (30), durante reunião no Tribunal Regional do Trabalho de Pernambuco (TRT-PE). Com isso, continua a greve dos rodoviários na capital do estado. Em nota, o TRT-PE informa que foram seis horas de negociação sem sucesso, e que não foram feitos acordos nas cláusulas econômicas, como reajuste de salário e do vale-refeição. O desembargador Pedro Paulo Pereira Nóbrega, que conduziu a audiência de conciliação, marcou o julgamento da greve para as 17h.

Por meio do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários Urbanos de Passageiros do Recife e Regiões Metropolitana, da Mata Sul e Norte de Pernambuco, os grevistas pedem reajuste salarial de 10% mais aumento do vale-refeição, de R$ 171 para R$ 320. No entanto, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) propôs um aumento de 5% no salário, a criação de um banco de horas com validade de um ano, ampliação dos intervalos intrajornadas para quatro horas e a revalidação das cláusulas sociais da Convenção Coletiva de 2013.

A proposta acabou sendo recusada pelos trabalhadores. Diante da rejeição por parte dos rodoviários, o Ministério Público do Trabalho sugeriu aumento de 10% no salário e no vale-refeição, mas a proposta não foi aceita pelo sindicato patronal.

Atualmente, o valor do salário recebido por motoristas é R$ 1.605 e o de cobradores, R$ 783. Com o aumento de 10%, os salários iriam para R$ 1.765 e R$ 861,63, respectivamente. Já os fiscais, que recebem R$ 1.037, passariam a ganhar R$ 1.140.

Tags: cobradores, jornadas, motoristas, paralisação, Pernambuco

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.