Jornal do Brasil

Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

País

‘Eu te amo’: mulher gravou vídeo com filho antes de matá-lo

Portal Terra

A Polícia Civil apresentou na tarde desta terça-feira no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de Belo Horizonte (DHPP) a dona de casa Marília Cristiane Gomes, 19 anos, que confessou ter matado o filho de 2 anos e escondido o corpo no sofá da casa vizinha onde mora a família em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Durante a apresentação, Marília negou ter tido a intenção de matar o filho Keven Gomes Sobral e disse estar arrependida, mas de acordo com o delegado Davi Batista, durante o depoimento ela mostrou frieza e preocupação apenas com a punição sofrerá: "A todo momento ela chorava, mas era pelo que ela irá pagar e não pela morte do filho," disse. Um dia antes do crime, Marília chegou a gravar um vídeo no telefone celular em que pedia o filho para repetir: "mamãe, te amo". 

O crime foi cometido por um motivo fútil, segundo apurou a polícia: “Ela contou que o menino estava dormindo e quando se levantou mexeu no celular. O aparelho caiu e o garoto deu um tapa na mão dela quando foi pegar o telefone. Nervosa, ela contou que pegou as duas mãos da criança e a arremessou com força na cama do casal. O menino bateu a cabeça na parede e desmaiou," explicou.

Ainda de acordo com o delegado, a dona de casa contou que o menino começou a espumar pela boca e com medo de ser presa, pegou o filho e o levou até a casa dos cunhados dela, que são tios do menino e estavam viajando: "No local ela tirou o forro do sofá, enrolou o menino em um lençol e o colocou lá. Depois voltou a colar o forro do móvel," esclareceu.

O corpo da criança foi encontrado por uma tia, que chegou na casa e notou o mau cheiro vindo do sofá. A mulher então chamou o marido e eles encontraram o corpo. Foi própria mãe quem acionou a polícia, na última quinta-feira, dando notícia do desaparecimento do filho, dizendo que o menino teria sumido enquanto ela lavava roupas. O Corpo de Bombeiros chegou a fazer buscas na região.

A polícia começou a desconfiar da mulher a partir do momento em que ela tentou fazer a liberação do corpo no IML de Betim: "Ela parecia tranquila e não mostrava nenhum sentimento pela morte da criança. Durante as investigações ela foi ouvida e caiu em contradições várias vezes, culpando parentes e até o pai pelo crime", afirmou o delegado. "Por fim ela confessou", concluiu.

Marília Cristiane Gomes vai ser indiciada por homicídio e ocultação de cadáver. Ela teve a prisão preventiva decretada. Para os jornalistas, afirmou que quer pagar pelo crime e disse estar sofrendo muito: "Não tinha intenção de matar o meu filho, queria que alguém encontrasse o corpo, por isso chamei os bombeiros," disse.

O pai da criança, Claudio Ribeiro Sobral, 31 anos, disse que a mulher já havia batido no filho outras vezes, e que quando ele reclamava, "ela dizia que estava educando o filho". Claudio contou que o menino era bastante alegre e não tinha problemas de comportamento. Quando ouviu o depoimento da mulher, ele passou mal e teve que ser amparado por policiais.

Tags: Bebê, crime, Filho, MINAS, morte, sofá

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.