Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

País

Marinha conta com 263 militares atuando em força-tarefa no Mar Mediterrâneo

Força-tarefa marítima da Unifil monitoraria tráfego ao largo da costa libanesa

Jornal do BrasilRafael Gonzaga

A Marinha do Brasil está integrando atualmente uma força-tarefa marítima da Força Interina das Nações Unidas do Líbano (Unifil), com um navio operando na parte oriental do Mar Mediterrâneo. A fragata “Liberal”, como é chamada a embarcação, tem uma tripulação composta por 263 militares, dentre eles militares do destacamento aéreo embarcado, fuzileiros navais, corpo de saúde e mais 13 militares do Estado-Maior – órgão responsável pelo fluxo de informação entre o comandante de uma unidade e suas subunidades – da força-tarefa marítima. A fragata é equipada ainda com um helicóptero de ataque Super Lynx, além de um grupo de mergulhadores de combate.

Criada por uma resolução de 2006 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, a força-tarefa marítima da Unifil está, desde fevereiro de 2011, sob comando de um Contra-Almirante da Marinha do Brasil. A força-tarefa é composta ainda por mais oito navios da Alemanha, Turquia, Grécia, Indonésia e Bangladesh. De acordo com a assessoria da Marinha, a missão da força tarefa seria monitorar o tráfego ao largo da costa libanesa, visando evitar que o embargo de armas aplicado ao Líbano fosse violado, além de também treinar quadros da Marinha de Guerra libanesa.

O comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto conta que essa é a primeira operação de paz, de caráter naval, que a Organização das Nações Unidas (ONU) realiza, além de ser a primeira vez que o comando da força-tarefa marítima da Unifil está sob responsabilidade de um país não-membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). “A presença da fragata Liberal na região, além de contribuir para o cumprimento das tarefas atribuídas à FTM, tem um grande significado para o Brasil no campo das relações internacionais, na medida em que demonstra o comprometimento do País com a UNIFIL, com a manutenção da paz no Líbano e com a estabilidade do Oriente Médio”, afirma.

De acordo com a assessoria da Marinha, no último dia 8 deste mês, a fragata “Constituição” partiu do Rio de Janeiro para integrar a força-tarefa marítima da Unifil. O navio irá substituir a fragata “Liberal”, que está naquela área de operações desde dezembro de 2013. O término da missão da Fragata “Constituição” no Líbano e o seu retorno ao Rio de Janeiro está previsto para abril de 2015.  

Tags: ALEMANHA, bangladesh, forças armadas, fragatas, grécia, Indonésia, líbano, marinha do brasil, turquia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.