Jornal do Brasil

Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

País

The Wall Street Journal: Economia sofreu impactos negativos no mês da Copa 

Produção industrial e setor automotivo teriam apresentado quedas em junho

Jornal do Brasil

Os primeiros indicadores de desempenho econômico do Brasil durante o período da Copa do Mundo estariam começando a aparecer e, de acordo com o The Wall Street Journal, os resultados não estariam sendo os melhores possíveis.

Segundo o jornal norte-americano, o torneio que durante um mês ultrapassou expectativas econômicas atraindo um milhão de estrangeiros para o Brasil, teria tido um impacto decididamente negativo em outros setores no mesmo período. O jornal aponta inclusive para os impactos do fato de que, em algumas das cidades-sede da Copa, foram declarados feriados municipais nos dias em que partidas foram disputadas nos estádio locais – fazendo com que, segundo o jornal britânico “legiões de trabalhadores matassem aula”.

Um dos dados que a matéria aponta é um relatório da Confederação Nacional da Indústria do Brasil (CNI) divulgado nesta sexta-feira, onde um indicador de produção industrial teria caído para o menor nível atingido desde 2010. A capacidade de utilização teria caído para 68% e a quantidade de estoques indesejados teria disparado.

Outra coisa que a matéria aborda é que o Instituto Brasileiro de Siderurgia teria dito, também na sexta-feira, que a produção de aço bruto teria caído 4,9% na comparação de junho com o mesmo período de 2013. Vendas de siderúrgicas locais para o mercado interno teriam caído 21%. Exportações também teriam apresentado queda.

Alguns dos piores índices teriam vindo ainda do setor automotivo brasileiro, que já viria sofrendo de acordo com o jornal de Wall Street com um aperto no crédito para consumo e com a crise econômica da vizinha Argentina. O resultado de acordo com o jornal foi que a produção de veículos caiu 33% em junho, de acordo com a associação Anfavea.

O jornal lembra que o governo teria dito que a Copa do Mundo havia criado um milhão de empregos e bombeado quase US$ 14 bilhões na economia, incluindo impactos diretos e indiretos. Contudo, de acordo com a matéria publicada, dados oficiais do Ministério do Trabalho na última quinta-feira teriam apontado para o fato de que a criação de empregos em junho caiu para o ritmo mais lento desde 1998, com apenas 25.363 contratações líquidas.

Tags: anfavea, confederação nacional da indústria, copa do mundo, economia, empregos, instituto brasileiro de siderurgia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.