Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Julho de 2014

País

Aécio reconhece importância do Mais Médicos, mas quer rever acordo com Cuba

Portal Terra

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse nesta quarta-feira que reconhece a importância do Mais Médicos e que pretende manter o programa caso seja eleito, mas que, para isso, é necessário rever o acordo com o governo de Cuba, de onde vêm cerca de 80% dos profissionais.

O Mais Médicos foi lançado em 2013 pelo governo federal para tentar reduzir a escassez de profissionais em algumas regiões do País. O valor da bolsa paga aos médicos é de R$ 10 mil, mas, no caso dos cubanos, a remuneração é paga ao governo de Cuba, que repassa cerca de R$ 3 mil aos profissionais. O acordo com o governo de Cuba é intermediado pela Opas (Organização Pan-americana de Saúde).

“Temos que rever esse acordo para que eles recebam a mesma remuneração dos outros. Vamos estabelecer novas regras de negociação. Não vamos aceitar as regras que foram impostas por Cuba”, disse o tucano, sem explicar, no entanto, como faria para manter o número de médicos no programa caso Cuba não aceite rever esse acordo.

“O governo brasileiro financia o governo cubano com parte da remuneração dos médicos”, continuou o candidato. As declarações foram dadas durante sabatina promovida pelo jornal Folha de S. Paulo, portal UOL, SBT e Jovem Pan.

O tucano disse que não tem “constrangimento” em dar continuidade a programas do governo federal que estejam dando certo. “Política e administração pública é você copiar as coisas que dão certo e aprimorá-las”.

Medidas impopulares

Aécio enfrentou uma saia-justa no início da sabatina ao ser convocado a listar quais seriam as “medidas impopulares” que estaria disposto a tomar para melhorar a economia do País, conforme declarou em jantar com empresários. O candidato se esquivou da pergunta, disse que sua declaração está “virando lenda”, mas que é preciso “olhar para o futuro”.

O tucano ainda afirmou que não governará com os olhos “nas curvas de popularidade” e aproveitou para criticar o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição.

“O que eu tenho dito em todos os encontros é que vou tomar as medidas necessárias para colocar o Brasil no rumo do crescimento, com controle da inflação. Medidas impopulares estão  sendo feito por esse governo”, afirmou Aécio. “O Brasil vive um processo de estagflação e crescimento pífio. A inflação está ultrapassando o teto da meta sem que o governo acene de forma clara as medidas que tomaria no futuro para reverter esse quadro perverso.”

Tags: campanha, neves, política, sabatina, Tucano

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.