Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Julho de 2014

País

AM: grupo reclama que polícia omite motivação religiosa em morte

Portal Terra

Após dois meses de investigação, a Polícia Civil do Amazonas prendeu, na manhã desta quarta-feira, o homem suspeito de ter assassinado um pai de santo a facadas em maio desse ano, em um bairro da zona norte de Manaus. O crime, segundo representantes das religiões de matrizes africanas, foi motivado por intolerância religiosa. Mas, segundo a polícia, essa hipótese ficou de fora do inquérito, o que revoltou familiares e amigos da vítima.

"Em todos os depoimentos de testemunhas, foi falado que a mãe do criminoso, que é evangélica, vivia reclamando do pai Júnior, e que no dia do crime ela mentiu para o filho, dizendo que o 'macumbeiro' tinha entrado na casa dela e lhe agredido. Ora isso motivou o crime e todas essas informações relativas à questão da intolerância religiosa foram tiradas do inquérito. Isso está errado. Isso fere as Leis", disparou Alberto Jorge da Silva, presidente da Articulação Amazônica dos Povos Tradicionais de Matriz Africana (Aratrama).

Segundo o delegado Paulo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), a questão religiosa que motivou o crime não foi levada em consideração porque, para a investigação, o foco era localizar Raymundo Andryws dos Santos Ferreira Pereira, 28 anos, que depois do homicídio fugiu. "O que nos interessa é que houve um homicídio. Investigamos e hoje prendemos o autor desse crime que confessou o fato. Em momento algum ele (Raymundo) disse ter matado a vítima por questão religiosa", justificou Martins.

Para a imprensa, Andryws Pereira garantiu que o crime ocorreu porque ele teria sido agredido pelo pai de santo Rafael da Silva Medeiros, 28 anos, conhecido como Pai Júnior, quando foi tentar conversar com ele sobre uma suposta briga entre a vítima e a mãe do suspeito. "Isso que eu matei porque ele era pai de santo não é verdade. Minha mãe é sim evangélica, mas isso não tem nada a ver. No dia que isso aconteceu, minha mãe me contou que ele (Rafael) foi lá em casa e agrediu ela verbalmente. Fui lá com ele tirar satisfação, mas ele veio me bater. Eu vi uma faca no chão e apenas me defendi, mas estou arrependido", contou o suspeito preso.

Mas essa versão foi duramente rechaçada pelo grupo de religiosos de matrizes africanas presentes na delegacia durante a coletiva de imprensa. "Isso é uma mentira deslavada. Todo mundo sabe que ele (Raymundo) e a mãe dele sempre arrumaram confusão no terreiro do pai Júnior", enfatizou Alberto Jorge, da Aramatra. Contudo, a polícia garantiu que a mãe do suspeito preso não figura no inquérito policial que investigou a morte do pai de santo.

O crime 

O pai de santo Rafael da Silva Medeiros foi assassinado com duas facadas no dia 3 de maio desse ano, em frente à casa de uma amiga, na rua 93, núcleo 11, bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus. Segundo testemunhas, a vítima estava na casa quando o suspeito chegou reclamando porque ele teria ido até a casa dele, brigar com a sua mãe. 

Durante a confusão, segundo as testemunhas, Raymundo Pereira começou uma discussão com a vítima. Na hora, a amiga do pai de santo se intrometeu e teria sido empurrada pelo suspeito. O pai de santo interviu, momento em que levou as facadas. 

A vítima ainda foi socorrida com vida para o hospital e pronto socorro Platão Araújo, na zona leste, mas já chegou sem vida.

Tags: Amazonas, assassinato, investigação, pai de santo, polícia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.