Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

País

Novo relator do mensalão elogia Joaquim Barbosa, e diz que ele virou "símbolo"

Jornal do BrasilLuiz Orlando Carneiro

Brasília - O novo relator da ação penal do mensalão, ministro Luís Roberto Barrroso, afirmou nesta terça-feira (1/7), que o ministro Joaquim Barbosa “conduziu a AP 470, que era um processo extremamente difícil, numa linha que quebrou um pouco o padrão geral seletivo da Justiça brasileira”. Mas, a seu ver, o atual presidente, em vias de se aposentar, “se tornou um símbolo contra a improbidade no Brasil, e “prestou uma contribuição relevante ao Judiciário”.

A declaração de Barroso foi feita a repórteres que aguardavam o início, nesta manhã, da última sessão plenária do semestre, e também a última a ser presidida por Joaquim Barbosa.

À pergunta de se espera alguma mudança no STF, em face da aposentadoria voluntária de Joaquim Barbosa, o seu substituto na relatoria da ação do mensalão, respondeu:

“Acho também que a Ação Penal 470 foi um ponto fora da curva, e que o ministro Joaquim era um dos 11 ministros. Ele teve uma presidência tranquila, com alguns embates em relação a essa ação pena. Uma coisa que se aprende logo no Supremo, e eu aprendi logo, é que você é 1/11 do tribunal. Portanto, a sua capacidade de fazer as coisas voluntaristicamente é limitada. Mas eu acho que o ministro Joaquim Barbosa se tornou um bom símbolo contra o status quo e um bom símbolo contra a improbidade no Brasil. O país estava precisando de bons símbolos, de modo que acho que esse papel ele desempenhou muito bem”.

Indagado se daria para resumir em uma palavra a atuação de Joaquim Barbosa na presidência do STF e como relator da ação penal do mensalão, Barroso afirmou:

“Acho que é impossível resumir porque as pessoas são um pacote complexo, com suas virtudes e com suas circunstâncias. Eu acho que o ministro Joaquim Barbosa prestou um serviço valioso à Justiça no Brasil, tanto do ponto de vista simbólico por ter sido o primeiro negro a chegar à presidência do Supremo, e uma pessoa que você pode concordar mais ou menos, mas que certamente é uma pessoa decente e que cumpriu o papel da forma que ele achava próprio. De modo que eu não resumiria a trajetória dele em uma palavra, mas eu acho que o saldo é extremamente positivo de um homem que serviu bem ao país”.

Tags: barroso, Mensalão, Ministro, STF, Supremo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.