Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

País

PSB oficializa candidatura de Eduardo Campos e Marina Silva

Portal Terra

O PSB oficializou neste sábado a candidatura de Eduardo Campos para presidente e Marina Silva para vice. A chapa foi aprovada por aclamação em convenção realizada com outros partidos da aliança.

A chapa tenta se apresentar como uma terceira via ante a polarização entre PT e PSDB nas disputas à Presidência da República. Um vídeo transmitido no evento anunciou o presidenciável como capaz de “enfrentar o jogo da velha política e desmontar estruturas poderosas”.

Campos dividiu o protagonismo com Marina em todas as referências no evento. Uma rápida biografia transmitida no telão associou a atuação de ambos como ministros de Ciência e Tecnologia e Meio Ambiente no governo do PT à redução do desmatamento na Amazônia. No vídeo, Campos apareceu ao lado de Lula.

Em terceiro lugar nas pesquisas, atrás de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), Campos tende a valorizar a vice durante toda a campanha para tentar chegar ao segundo turno. Pesquisa Ibope divulgada no início do mês mostrou que ele se aproxima de Aécio quando os vices eram citados na cartela de candidatos.

A ex-senadora, que ficou em terceiro lugar nas eleições de 2010 com quase 20 milhões de voto, também é citada no jingle da campanha, que leva o slogan “coragem para mudar o Brasil” no refrão. O rap predomina a música, numa tentativa de atrair o público jovem.

Um grande banner montado no palco mostra Campos e Marina de mãos dada, lado a lado, com um mapa do Brasil verde ao fundo. Os nomes recebem o mesmo destaque.

Ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos foi ministro de Ciência e Tecnologia no primeiro mandato do governo Lula. Ele foi reeleito em 2010 com a maior votação para governador, com 82% dos votos.

Em outubro do ano passado, Campos conseguiu atrair Marina Silva para o PSB, depois de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter negado o registro ao partido dela, a Rede Sustentabilidade. Mais conhecida do eleitorado, Marina Silva foi formalizada como vice na chapa em abril, em evento realizado em Brasília.

O partido, que participou da aliança que elegeu os três governos do PT, desembarcou da base aliada no ano passado e passou a fazer oposição ao governo Dilma Rousseff. O PSB recebeu o apoio do PPS, do PPL, PRP e PHS, mas é a Rede, o partido virtual de Marina Silva, que causa maior dissonância no discurso entre os cabeças de chapa. A ex-senadora criticou publicamente a decisão do PSB em apoiar a reeleição de Geraldo Alckmin

Tags: convenção, nacional, partidos, presidencial, sucessão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.