Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

País

Por pressão do PR, Dilma deve demitir ministro dos Transportes

Partido deu sinal de que se não fosse atendido poderia não apoiar candidatura de Dilma

Portal Terra

Por pressão do Partido da República (PR), a presidente Dilma Rousseff deve demitir o ministro dos Transportes, César Borges. Dilma recebeu o ministro na manhã desta quarta-feira no Palácio da Alvorada e a pauta do encontro seria a substituição na pasta. O PR avisou ontem ao Planalto que Borges não representa a legenda na Esplanada dos Ministérios, um sinal velado de que a legenda pode não confirmar apoio à candidatura de Dilma à reeleição se não for atendida.

César Borges chegou às 8h50 à residência oficial da presidente, dez minutos antes do previsto. Dilma já estava com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que tem desempenhado papel de protagonismo na articulação política e na campanha da presidente. O ministro-chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, Antonio Henrique Pinheiro, também esteve no local. Ele e Borges deixaram a reunião por volta das 11h. 

Ontem, a pressão do PR foi assunto de jantar entre Dilma e a cúpula do PT, que contou com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mentor político da presidente, além do presidente do partido, Rui Falcão, e de Mercadante.

Após a conversar com o ministro dos Transportes, Dilma se reuniu na presença de Mercadante com o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) Paulo Sérgio Passos, antecessor de Borges na pasta. Dilma tem apreço a Passos por ele ter um perfil mais técnico para o setor. Porém, sofre resistência do seu partido, o PR. 

A principal reclamação do PR sobre a atuação de César Borges à frente da pasta dos Transportes é o fato de o ministro dar pouca atenção às demandas  da bancada no ministério. O partido aproveita um momento de vulnerabilidade da campanha de Dilma iniciada com o desembarque do PTB da aliança. Menos partidos na coalisão significa, no curto prazo, menos tempo de televisão garantido durante a propaganda eleitoral gratuita. 

Tags: demissão, Governo, Ministro, PR, Transportes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.