Jornal do Brasil

Quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

País

Começa transferência dos presos do Presídio Central de Porto Alegre 

Portal Terra

Teve início nesta terça-feira o processo de transferência de presos do Presídio Central de Porto Alegre (PCPA). Vinte detentos foram levados à Penitenciária Modulada Estadual de Montenegro (PMEM), que, com a inauguração de um novo módulo, poderá receber até 500 presos.

A expectativa é que todo o processo de transferência do Presídio seja concluído até o final de julho. De acordo com o governo gaúcho, inicialmente serão transferidos presos da Região do Vale do Caí que estavam no Presídio Central.

Nesta terça-feira, o Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou relatório que recomenda o esvaziamento do PCPA. O documento destaca superlotação, risco de incêndio, péssimas condições de higiene e as seis facções criminosas que controlam as galerias da unidade. O prazo dado pelo CNJ é de seis meses.

Processo gradual 

Além de Montenegro, outras obras estão em fase de conclusão para desafogar o Presídio Central. Uma delas é parte de um módulo na Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas (PMEC), com 250 vagas. A conclusão é prevista para agosto.

Também deve iniciar a ocupação, em agosto, da Penitenciária de Venâncio Aires, com 529 vagas, sendo 300 destinadas para presos da Região do Vale do Rio Pardo que estão no Presídio Central. A obra está concluída e aguarda a emissão de licenças de instalação e ocupação.

Outra unidade prisional prevista para começar a receber detentos é a Penitenciária Canoas I, com 393 vagas, cuja obra está com 95% concluída. A Penitenciária de Guaíba, com 672 vagas, está com mais de 60% concluída e tem conclusão prevista para novembro.

Já o Complexo Prisional de Canoas, com 2.415 vagas, após a retirada do mato e a terraplanagem, iniciou no final de abril a montagem dos monoblocos; a previsão de conclusão é para dezembro.

Tags: capital, gaucha, prisional, Sistema, transferidos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.