Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

País

Ministério do Trabalho multa Metrô de SP por demissão de grevistas

Agência Brasil

O Ministério do Trabalho multou em R$ 8 mil o Metrô de São Paulo por prática antissindical. A empresa estadual demitiu 42 metroviários acusados de praticar atos de vandalismo durante a greve da categoria. A medida foi tomada após a Justiça do Trabalho considerar a paralisação abusiva e estipular uma multa, caso os funcionários continuassem com o movimento. “Ele [Metrô] foi autuado por ato antissindical por promover a dispensa de 42 trabalhadores diretamente envolvidos na greve, um dia depois da sentença do Tribunal Regional do Trabalho”, ressaltou o auditor fiscal da superintendência do ministério em São Paulo, Renato Bignani.

Com a multa, aplicada na última sexta-feira (13), a empresa tem 10 dias para apresentar a defesa. Segundo Bignani, não existem indícios que justifiquem a demissão por justa causa dos trabalhadores penalizados. “A empresa, unilateralmente, rompeu o contrato com esses 42 trabalhadores argumentando genericamente justa causa, indicando um artigo do código penal como argumentação. No entanto, não há processo penal contra nenhum desses trabalhadores”, destacou.

O auditor disse que a expectativa do ministério é que a companhia desista das dispensas. De acordo com ele, o Ministério Público do Trabalho também deve interceder em favor dos demitidos. “Nós vamos seguir com a fiscalização. A nossa expectativa é que a empresa se convença de ter se equivocado especificamente em relação a essas demissões.  Nós estamos em nenhum momento discutindo a sentença ou o dissídio”, acrescentou Bignani enfatizando que o ministério entende que a atitude da empresa extrapolou a decisão judicial que determinou o fim da greve. O sindicato dos metroviários foi multado em R$ 900 mil pelos cinco dias de paralisação.

Em nota, o Metrô criticou a posição do Ministério do Trabalho. “Defender os demitidos é ignorar as ordens judiciais que declararam a greve abusiva. A posição do Ministério do Trabalho é um acinte ao Judiciário, ignora o sofrimento de 5 milhões de usuários do Metrô e contradiz inclusive a posição do ministro da Justiça, que defendeu a decisão judicial”, diz o comunicado.

Tags: Demissões, direção, metroviários, multas, paralisação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.