Jornal do Brasil

Quinta-feira, 19 de Abril de 2018 Fundado em 1891

País

Com acordo, manifestantes desocupam reitoria da UnB

Jornal do Brasil

Os estudantes que ocuparam a Reitoria da Universidade de Brasília (UnB) deixaram o local de forma pacífica, após assinatura de uma carta de intenções pelo reitor Ivan Camargo. O grupo invadiu o gabinete na quinta-feira (5) e permaneceu até a noite dessa terça-feira (10), reivindicando a não criminalização do movimento estudantil.

No documento assinado ficou registrado o compromisso da universidade de sanear os processos existentes, podendo abrir novos procedimentos de investigação para apurar os danos ao patrimônio no chamado catracaço e nas festas no Instituto Central de Ciências, conhecido como minhocão. Ontem, durante todo o dia, a negociação entre estudantes e gestores foi intermediada pela Defensoria Pública da União, que vai acompanhar o caso.

O catracaço ocorreu em fevereiro do ano passado, quando alunos liberaram as catracas do restaurante universitário por quatro dias, reivindicando melhorias no sistema de assistência estudantil. Segundo a universidade, os prejuízos somam R$ 29 mil. Oito estudantes respondiam a processo administrativo e poderiam ter que pagar os prejuízos à empresa que administra o restaurante.

Segundo o reitor, as festas no minhocão também trouxeram prejuízos por causa da sujeira espalhada e dos laboratórios e banheiros depredados. Por isso, processos administrativos estavam sendo movidos contra os centros acadêmicos.

A gestão se comprometeu ainda a manter o diálogo com os alunos sobre as moradias administradas pela UnB e a regularização institucional e localização física dos centros acadêmicos.

Durante a tarde, a juíza Luciana Raquel Tolentino de Moura ordenou a reintegração de posse do prédio da reitoria e autorizou o uso de força policial, que não foi necessária.

Na página do movimento de ocupação no Facebook, os estudantes dizem que vão continuar mobilizados para que as promessas sejam cumpridas.

Agência Brasil


Tags: Aluno, Brasília, protesto, reitoria, universidade

Compartilhe: