Jornal do Brasil

Segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

País

Sem-terra ocupam duas fazendas em Marabá, no Pará

Agência ANSA

Sem-terra ocuparam, neste domingo (8), duas fazendas de Marabá, na região sul do Pará. Ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), os ocupantes pedem que as duas áreas sejam desapropriadas pelo Estado e incluídas no programa de reforma agrária.

Segundo o MST, as fazendas Santa Tereza e Cosipar estão em áreas públicas e podem ser classificadas como improdutivas. Isso porque, de acordo com o movimento, na Santa Tereza cria-se apenas gado. Já na Cosipar, sustenta o MST, só há plantação de eucalipto – o que a organização de sem-terra afirma que fere a legislação ambiental.

Já o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Marabá, Eudério de Macedo Coelho, afirmou à Agência Brasil que as duas propriedades estão devidamente regularizadas e não têm problemas ambientais.

“Inspecionamos as duas áreas recentemente e verificamos que elas não têm problemas”, disse o superintendente. Coelho já recebeu os advogados dos proprietários da Santa Tereza e, às 16h se reune com representantes do movimento.

Nenhum servidor do Incra esteve nas fazendas após a ocupação. Mesmo assim, Coelho revelou que os representantes jurídicos da Santa Tereza denunciaram que os ocupantes derrubaram pontes de acesso à propriedade, cortaram cercas de arame e expulsaram empregados. O superintendente garante que pedirá aos sem-terra que desocupem a área.

“Pela lei em vigor, o Incra não pode vistoriar áreas ocupadas. Por isso, vamos pedir que eles deixem as duas fazendas. Eles saindo, vamos procurar conversar com os donos e verificar se eles têm interesse em vendê-las, pois não podemos simplesmente desapropriá-las”, declarou Coelho.

A Agência Brasil não conseguiu localizar os representantes das duas fazendas.

Tags: brasil, fazenda, ocupação, protesto, sem-terra

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.