Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

País

SP: estudante é morto por comprar de traficante concorrente

Portal Terra

Um traficante foi preso nesta sexta-feira em Mirassol, no interior paulista, por matar um estudante de direito que se recusou a comprar crack dele e faria a compra com outro traficante, concorrente. O crime ocorreu na noite de quinta-feira na antiga estação ferroviária da cidade. Abandonado, o local se tornou uma espécie de cracolândia, ocupada por sem-teto, onde traficantes vendem drogas e viciados se escondem para usar crack.

De acordo com o delegado titular de Mirassol, Julio Cesar Bueno Valle, o estudante de direito Alex Rodrigues Nogueira, 41 anos, foi esfaqueado quando tentava trocar um videogame por uma porção de crack. Preso pelo homicídio, William Bartolo do Nascimento, 20 anos, contou que matou Nogueira porque o estudante decidiu comprar drogas de outro traficante que atua no local, mesmo devendo dinheiro a ele por outra compra de drogas feita dias antes.

“O estudante começou a negociar a troca de um videogame com outro traficante e o acusado, que chegou logo em seguida, não gostou, porque o estudante ainda lhe devia R$ 190 de compras anteriores. Os dois então passaram a discutir e a brigar, quando então a vítima foi esfaqueada diversas vezes, ainda conseguiu caminhar alguns metros, mas acabou morrendo nas imediações”, contou o delegado. Testemunhas ligaram para o serviço de resgate do Corpo de Bombeiros, que socorreu o rapaz.

Após o crime, Nascimento deixou o local em uma bicicleta, mas ao retornar à estação horas depois do crime, acabou preso em flagrante pelos investigadores. Segundo Valle, em depoimento, Nascimento disse que decidiu esfaquear o estudante depois de a vítima o ter agredido com uma paulada. “Ele confirmou que não gostou de ver o estudante comprando drogas de outro, mesmo devendo dinheiro a ele, mas disse que somente o esfaqueou para se defender”, completou o delegado. A polícia também investiga se houve participação de outras pessoas no homicídio, uma vez que Nascimento não estava sozinho no local do crime.

Segundo o delegado, foi o segundo homicídio registrado pela polícia no prédio da antiga estação ferroviária. “Enquanto o local servia para abrigar serviços públicos, não havia problemas. Mas depois que ele ficou abandonado, se transformou num problema social, porque para lá, além de traficantes e usuários de drogas, vão os mendigos e sem-teto que encontram lá um local para moradia”, explicou o delegado. “Enquanto a prefeitura, que é responsável pelo local, não fechar as entradas para o interior do prédio, o problema continuará”, completou.

Tags: drogas, interior, morte, SP, tráfico

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.