Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

País

Greve de engenheiros e arquitetos de SP atinge 60%, diz sindicato

Portal Terra

Os engenheiros e arquitetos da prefeitura de São Paulo completam nesta terça-feira uma semana de paralisação. A adesão até o momento, de acordo com os sindicatos dos Engenheiros do Estado de São Paulo (SEESP) e dos Arquitetos (SASP), é de 60% das categorias. Nesta terça-feira, os grevistas participaram de reunião do colégio de líderes da Câmara Municipal. Amanhã está prevista uma assembleia geral às 10h30.

O levantamento nos setores separadamente mostra que nas subprefeituras a adesão é de 45%; nas secretarias a paralisação chega a 70%. Um dos setores mais prejudicados é a Secretaria de Licenciamento. A paralisação foi deflagrada no dia 27 de maio deste ano. Os profissionais das duas categorias solicitam mudanças na legislação que trata sobre os reajustes, que atualmente permite que a prefeitura conceda apenas 0,01% de aumento por ano, sendo que em 2013 e 2014 não houve nenhum aumento. Segundo o sindicato, desde maio de 2007, os servidores do município, incluindo os engenheiros, acumulam perdas inflacionárias de 49,46%, segundo o INPC/IBGE. 

"O movimento está ganhando força porque o descontentamento é grande. Queremos a retomada da discussão com a prefeitura e uma programação de pagamento para que possamos começar a recuperar as perdas", afirmou o presidente do SEESP, Murilo Celso de Campos Pinheiro. 

Até o momento a última proposta apresentada pela prefeitura é que a remuneração se dê a partir de subsídios que desconsideram as especificidades das diferentes atribuições. Isso transforma todos os profissionais em analistas, com reajuste de 30% para engenheiros e arquitetos, somente a partir de 2017 e apenas àqueles em início de carreira. A Prefeitura ainda não se manifestou sobre o impacto da paralisação. 

Tags: engenharia, Obras, paradas, paralisação, são paulo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.