Jornal do Brasil

Quinta-feira, 31 de Julho de 2014

País

CPI mista da Petrobras aprova plano de trabalho

Documento prevê a convocação prioritária do doleiro Alberto Youssef e de ex-diretores da estatal

Jornal do Brasil

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras aprovou nesta terça-feira o plano de trabalho apresentado pelo relator, deputado Marco Maia (PT-RS).

Para o relator, a CPMI deve convocar prioritariamente o ex-diretor de Abastecimento e Refino da estatal Paulo Roberto Costa, acusado de integrar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões; o ex-diretor da área Internacional da empresa Nestor Cerveró; e o doleiro Alberto Youssef, um dos principais personagens da operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga lavagem de dinheiro.

O plano de trabalho proposto pelo relator prevê que as investigações vão respeitar os quatro eixos definidos pelo requerimento que criou a CPI. São eles: a compra da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos; denúncias de pagamento de propina a funcionários da Petrobras; falta de segurança nas plataformas e superfaturamento na construção de refinarias.

Uma votação nominal para verificar o quórum do plenário chegou a ser pedida pelo líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE). Esse processo de votação começou, mas foi encerrado pelo presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Quebra de sigilo

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) sugeriu que as convocações aconteçam somente após a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico do doleiro e dos ex-diretores da estatal. “Se tivermos a quebra de sigilo antes da convocação teríamos as provas na mão”, disse.

O líder do PT no Senado, senador Humberto Costa (PE), lembrou que Nestor Cerveró não é acusado de nada pela Polícia Federal na operação Lava Jato. “Acho que é expor desnecessariamente pessoas que não têm nenhuma acusação pairando contra eles”.

Para que as convocações previstas no plano de trabalho sejam efetivadas, é preciso que haja requerimentos, com esse intuito, apresentados e aprovados na comissão.

Tags: comissão, estatal, inquérito, parlamentar, Petróleo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.