Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

País

Acusado de assassinato, deputado é aposentado por invalidez

Portal Terra

O deputado federal Francisco Tenório (PMN), acusado de envolvimento na morte de um cabo da Polícia Militar, foi aposentado por invalidez nesta segunda-feira em decreto assinado pelo governador Teotônio Vilela Filho (PSDB), publicado no Diário Oficial. Pelo decreto, ele receberá o salário de delegado, mais gratificação, que fica em torno de R$ 20 mil. A reportagem tentou ouvir a assessoria do Gabinete Civil sobre o motivo da invalidez do delegado, mas ninguém atendeu as ligações.

Chico Tenório, como é conhecido, foi preso em 2010, cerca de 48 horas após perder a imunidade parlamentar, porque era deputado federal, por agentes da Polícia Federal. Ele foi acusado de integrar um consórcio de deputados estaduais que matou o cabo da Polícia Militar José Gonçalves, morto em uma emboscada num posto de gasolina no bairro de Benedito Bentes, parte alta da capital alagoana, há 17 anos. Por ter foro privilegiado, o processo foi remetido ao Supremo Tribunal Federal (STF) em janeiro de 2013, onde aguarda julgamento. Ele sempre negou a autoria do crime.

Em março de 2012, o deputado havia conseguido um habeas corpus para ser nomeado delegado de Acidentes de Trânsito, mas uma decisão da 17ª Vara Criminal da Capital proibiu que ele exercesse a função. Em janeiro de 2013, após a deputada federal Célia Rocha (PTB) ganhar as eleições para a prefeitura de Arapiraca, Tenório assumiu a vaga e voltou a ter foro privilegiado.

Chico ainda foi indiciado em 6 de dezembro de 2007, pela Polícia Federal, pelo desvio de R$ 300 milhões da folha de pagamento da Assembleia Legislativa, em esquema conhecido como “Operação  Taturana”. O caso aguarda ser desmembrado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) há sete anos.

Tags: alagoas, crime, decreto, Governador, inválido

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.