Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

País

CPI da Petrobras no Senado ouve executivos na próxima terça-feira

Jornal do Brasil

A CPI da Petrobras no Senado ouvirá na próxima terça-feira (3), às 10h15, o ex-gerente-executivo Internacional de Desenvolvimento de Negócios da estatal, Luis Carlos Moreira da Silva. De acordo com o requerimento de convocação, foi ele quem assinou, em 2006, o documento interno para a diretoria executiva da empresa aprovar a compra de metade da refinaria de Pasadena, nos EUA.

Reportagem publicada em 28 de abril pelo jornal O Estado de S. Paulo informa haver documentos confidenciais da Petrobras que mostram a intenção de incluir um sócio na compra de Pasadena para “camuflar” o tamanho do negócio no exterior. Esses documentos, segundo o jornal, foram assinados por Luis Carlos Moreira da Silva.

Também na terça-feira, a CPI da Petrobras recebe Pedro Aramis de Lima Arruda, que segundo o requerimento de convocação é diretor de Segurança Empresarial da Petrobras. Ele foi chamado para esclarecer a denúncia de pagamento de propina a funcionários da estatal pela empresa holandesa SMB Offshore.

Um dos objetos de investigação da CPI é a alegação de que, desde abril de 2012, a SMB, fabricante de plataformas marítimas de exploração de petróleo, investiga se seus funcionários corrompiam autoridades em troca de contratos. Há indícios de que funcionários e intermediários da Petrobras teriam recebido, entre 2007 e 2011, US$ 30 milhões.

Além disso, os comprovantes do suborno estariam sendo investigados pelo Departamento de Justiça dos EUA e pelo Ministério Público da Holanda.

Ao depor à CPI no último dia 27, a presidente da Petrobras, Graça Foster, afirmou que, tão logo tomou conhecimento das denúncias, uma comissão interna foi aberta e, ao final dos trabalhos, constatou não ter havido pagamentos ilegais a funcionários da estatal. Ela disse também que a Petrobras não foi notificada nem pelo Ministério Público da Holanda nem por autoridades americanas.

Graça Foster informou ainda que a parceria com a SMB Offshore foi firmada em 1996 e os contratos entre as duas empresas, ao longo dos anos, somam US$ 27,67 bilhões.

Agência Senado

Tags: comissão, convocação, parlamentar, Petróleo, senadores

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.