Jornal do Brasil

Terça-feira, 22 de Julho de 2014

País

Em meio a polêmica, Joana Havelange diz que foi vítima de "oportunistas"

Diretora do COL disse que a frase "O que tinha que ser gasto, roubado, já foi" passou despercebida

Jornal do Brasil

Após causar polêmica ao compartilhar nesta terça-feira (27/5) um texto viral  no Instagram criticando as manifestações contrárias à realização da Copa do Mundo no Brasil, Joana Havelange, filha do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira e neta de João Havelange, ex-presidente da Fifa, se retratou dizendo que foi alvo de "oportunistas" e admitiu que a frase replicada por ela e que estava inserida no conteúdo do viral - “O que tinha que ser gasto, roubado, já foi. Se fosse para protestar, que tivesse sido feito antes” - passou de forma desatenta. Diretora do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL), Joana ainda criticou a postura da imprensa que divulgou a sua publicação. 

>> Freixo entrará com representação no MP para investigar fraudes na Copa

A resposta de Joana com relação ao caso veio após a assessoria de comunicação da COL reforçar que o texto não foi escrito pela diretora do órgão. Ela utilizou o mesmo meio onde a polêmica teve início para comentar as críticas. "Infelizmente eu não posso nem replicar algo positivo numa página pessoal que oportunistas vem invadir meu currículo pessoal buscando criar problemas para a organização da Copa. Eu postei um texto que corre pelas mídias sociais que levantava o espírito num momento tão importante no nosso país. De fato não atentei para a frase que está gerando polêmica. Não concordo com ela e lamento não ter me atentado para ela. Lamento também que na reta final dos preparativos estamos falando sobre isso enquanto o mundo inteiro foca a atenção no nosso país no maior evento do planeta. EU acredito no meu país, sou brasileira com muito orgulho e sei que vamos fazer uma Copa linda, porque podemos, sabemos e estamos no caminho para fazer a #copadascopas. Vamos que vamos Brasil!", escreveu Joana nesta quarta-feira (28) no seu perfil no Instagram.

O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ) classificou a declaração de Joana como “muito grave” e garantiu que entrará nesta quarta-feira com uma representação no Ministério Público solicitando uma investigação sobre os motivos da declaração de Joana Havelange, que remete à desvios de verba pública durante a organização da Copa. Freixo disse que ainda vai enviar um ofício ao deputado Bebeto (Solidariedade), que também faz parte do COL, “para saber se ele possui alguma informação que possa contribuir com a investigação”. 

Tags: Copa, desvio, havelange, pública, roubado, teixeira, verbas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.