Jornal do Brasil

Segunda-feira, 28 de Julho de 2014

País

Professores municipais de SP decidem manter greve

Agência Brasil

Depois de mais de um mês de greve no ensino municipal de São Paulo, professores e representantes da prefeitura não chegaram hoje (27) a um acordo, em reunião realizada na sede do Executivo local. Em assembleia feita logo depois do encontro, os professores decidiram manter a paralisação iniciada em 23 de abril.

Segundo o Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (Simpeem), os profissionais reivindicam a incorporação de um bônus complementar ao salário, valorização profissional e melhorias nas condições de trabalho. Eles também pedem que os profissionais em greve não sejam punidos com o corte na folha de ponto.

Mais cedo, em torno de sete mil professores – segundo a Polícia Militar – fizeram passeata pelas ruas do centro da capital paulista. Depois de se concentrarem no vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), os professores decidiram, mesmo com a chuva, deslocarem-se pela Rua da Consolação em direção à prefeitura, onde fizeram a assembleia.

A manifestação interditou quatro das oito faixas da Avenida Paulista e interrompeu o trânsito de um dos lados da Rua da Consolação. A adesão à greve, segundo o sindicato, é de 30% a 40% da categoria.

Tags: haddad, magistério, municipal, paralisação, são paulo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.