Jornal do Brasil

Quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

País

Dilma vê exagero crítico e aprova obras com "padrão Brasil"

Portal Terra

Em discurso para uma plateia de políticos filiados ao Partido Progressista (PP), a presidente Dilma Rousseff disse acreditar que o termo "padrão Fifa" é equivocado para as obras feitas pelo governo em prol do Mundial. Segundo ela, os investimentos feitos pelo governo brasileiro são dirigidos à população e não à entidade máxima do futebol.

"Eu acredito que o padrão Fifa é uma maneira equivocada no Brasil de se tratar algumas questões", disse a presidente. "Os aeroportos não têm padrão Fifa, vocês vão me desculpar. Têm padrão Brasil", exemplificou, citando a reforma do aeroporto de Brasília, recém-inaugurado após ser concedido à iniciativa privada. "Não estamos fazendo aeroporto só para a Fifa ou só para a Copa. Nós estamos fazendo aeroporto para os brasileiros".

Dilma Rousseff afirmou que há tendência em criticar a Copa no Brasi
Dilma Rousseff afirmou que há tendência em criticar a Copa no Brasi

Dilma afirmou que "há uma mania no Brasil de se olhar para a Copa e fazer uma avaliação crítica", mas ressaltou que o futebol é um motivo de orgulho no País e que tem certeza de que "vamos fazer a Copa das Copas".

A exemplo de outros discursos a favor do Mundial, a presidente reiterou que as obras relacionadas ao torneio ficarão para os brasileiros e que os estrangeiros levarão a experiência de assistirem os jogos no País. "Eles não levam na mala aeroporto, estádio e nem projeto de mobilidade urbana. Eles podem levar na mala a certeza que nós somos um povo gentil, hospitaleiro, civilizado e afetivo. Isso eles podem levar na mala", afirmou Dilma.

Evocando a paixão do brasileiro pelo futebol, Dilma recorreu ainda a exemplos históricos e disse que ao vermos jogadores com descendência indígena, negra ou branca o brasileiro se vê. "Temos muito orgulho desse fato", disse.

Tags: brasil, Mundial, partidos, política, presidente

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.