Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

País

Graça Foster depõe na CPI da Petrobras nesta terça

Jornal do Brasil

A presidente da Petrobras, Graça Foster, será ouvida na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, no Senado, nesta terça-feira (27), às 10h15. Será a segunda vez que a principal executiva da estatal comparecerá ao Congresso para explicar denúncias de irregularidades na empresa, como as relativas à compra da refinaria de Pasadena, nos EUA.

Em abril, Graça Foster reconheceu que a aquisição “não foi um bom negócio”. Ela afirmou, porém, que na época da aquisição, em 2006, o negócio era "potencialmente bom".

Ainda nesta terça-feira, a CPI deve votar cinco requerimentos. Um deles, apresentado pelo senador Humberto Costa (PT-PE), pede a convocação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Ele participou do negócio de Pasadena e integrava o Conselho de Administração da Refinaria Abreu e Lima. Paulo Roberto estava preso até o dia 19 por envolvimento na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investigou um esquema de evasão de divisas, com volume estimado em cerca de R$ 10 bilhões.

A CPI deve votar também requerimentos que pedem acesso à documentação da Operação Lava Jato, bem como a cópias de processos em análise no Superior Tribunal de Justiça (STJ) que tratam da troca de ativos entre a Petrobras e a Repsol YPF, no caso da Refinaria de Bahia Blanca.

Na quinta-feira (29), a CPI da Petrobras vai ouvir o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Jorge e o ex-diretor Internacional da Petrobras Jorge Zelada.

CPI versus CPMI

Os depoimentos de quinta-feira da CPI da Petrobras poderão coincidir com o início dos trabalhos de outra comissão parlamentar de inquérito para investigar a Petrobras. A instalação da CPI mista - com deputados e senadores - só depende da indicação dos integrantes do Senado, já que os membros da Câmara já foram indicados.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, disse que fará as escolhas até terça-feira, se os partidos não o fizerem. "A partir daí, será feita a instalação, a eleição do presidente, a designação do relator e a aprovação do plano de trabalho", afirmou Renan.

O presidente da CPI da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), garantiu não haver problemas no funcionamento simultâneo de duas comissões com o mesmo objeto de investigação. "A CPI do Senado tem uma obrigação e o seu destino não pode ser vinculado à CPMI", disse. 

"A CPI do Senado foi proposta por membros da oposição, que provocaram o Supremo Tribunal Federal para vê-la instalada. Não podemos, simplesmente, por ter outra comissão parlamentar de inquérito constituída, esquecer que houve um requerimento e que houve um grande debate nacional pela implantação da CPI do Senado".

Tags: comissão, estatal, inquérito, parlamentar, Petróleo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.