Jornal do Brasil

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

País

Cuiabá descarta surto de dengue durante a Copa do Mundo

Agência Brasil

A ocorrência de surtos de dengue em Cuiabá não está entre os principais fatores de risco durante a Copa do Mundo, avalia a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso.

“No estado como um todo, houve uma redução bem significativa dos casos de dengue em relação ao ano passado”, disse à Agência Brasil o superintendente de Vigilância em Saúde, Juliano Silva.

Ele destacou ainda que o período de realização da Copa (12 de junho a 13 de julho) é tradicionalmente seco em Cuiabá. “Isso dificulta surtos de dengue”, destacou.

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde, revelam que, de 1º janeiro a 15 de maio deste ano, Mato Grosso registrou 6.270 casos notificados de dengue, com seis mortes. Desses, 647 foram em Cuiabá. No mesmo período de 2013, o estado registrou 36.270 casos.

A maior preocupação da secretaria se refere a doenças agudas, principalmente, diarreias por mudança de hábito alimentar. “Isso sempre tem. E quando há muita aglomeração de pessoas, a chance é um pouco maior”, admitiu o superintendente.

Outra preocupação diz respeito a casos de sarampo e de cólera em países onde há registros dessas doenças e de onde virão visitantes para o estado. Há ainda risco de acidentes com animais peçonhentos, em especial cobras, nas áreas próximas da capital, entre elas, as regiões da Chapada e do Pantanal, que atraem um número crescente de turistas.

Em Cuiabá, três hospitais privados (São Mateus, Santa Rosa e Jardim Cuiabá) concentrarão o atendimento a turistas durante a Copa do Mundo. “Dentro do estádio [Arena Pantanal], a Federação Internacional de Futebol (Fifa) está organizando o sistema de saúde completo, o mais resolutivo possível. De lá, a pessoa vai sair para as referências pactuadas privadas”, destacou o coordenador da Câmara Temática da Saúde da Secretaria da Copa (Secopa) de Cuiabá, Fábio Liberali Weissheimer.

Referência no Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Várzea Grande também concentrará os atendimentos durante o Mundial. “Esse hospital terá o perfil modificado. Hoje, ele não atende urgência. Só atende [pacientes] eletivos. Mas na época do evento, vai atender.”

A rede privada ainda contará com os hospitais Femina e Amecor.

A rede de atenção será reforçada com um posto médico avançado dentro do Fifa Fan Fest, que irá funcionar 24 horas por dia, com profissionais bilíngues. O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) vai dobrar o número de ambulâncias de nove para 19.

“Para diminuir a pressão desses hospitais, algumas unidades de saúde do SUS, da rede de atenção básica e secundária de Cuiabá e de Várzea Grande, terão o horário estendido. Duas policlínicas de Várzea Grande vão atender também 24 horas”, disse o coordenador da Secopa.

Na capital de Mato Grosso, haverá ainda uma sala de crise que fará a gestão do evento na área da saúde. Está prevista também a abertura do Hospital São Benedito de Cuiabá, com 126 leitos, na véspera do evento. “É um hospital novo da rede SUS e vai estar dedicado também aos turistas”, destacou Liberali.

Tags: brasil, Copa, epidemia, futebol, mosquito

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.