Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Setembro de 2014

País

Quadrilha enviava drogas em contêineres pelo Porto de Santos

Portal Terra

O Ministério Público Federal (MPF) em Santos, no litoral paulista, denunciou seis pessoas por tráfico internacional de drogas e associação para o crime. A ação integra a Operação Monte Pollino, deflagrada em março deste ano para desmanchar uma quadrilha que exportava cocaína pelo Porto de Santos para a Europa. Os mandados de prisão e de busca foram cumpridos no Brasil e em oito países simultaneamente. Foram presas 12 pessoas.

Em um ano, policiais apreenderam 1,3 tonelada da droga negociada pelo grupo. As investigações tiveram início em fevereiro de 2013, quando a Justiça italiana emitiu comunicado às autoridades brasileiras sobre a atuação da quadrilha. As investigações apontaram que a quadrilha adquiria cocaína, transportava até o porto no litoral paulista e remetia em navios de carga ao continente europeu, em especial à Itália.

A principal forma de remessa era por meio de contêineres. Com a ajuda de funcionários dos portos, a quadrilha identificava os navios que iam para a Europa, camuflava a cocaína em bolsas de viagem e providenciava o envio junto com as mercadorias regularmente transportadas. No destino da droga, outros criminosos, ligados aos compradores, recolhiam as bolsas nos contêineres e concluíam a operação.

As investigações mostraram que duas pessoas exerciam a liderança, atuando na gestão operacional. Eles recrutavam os membros, distribuíam incumbências, controlavam seu cumprimento e contabilizavam os lucros. Duas mulheres eram encarregadas do financiamento das ações. Elas recebiam os pagamentos feitos por compradores da cocaína na Europa, acionavam comparsas e financiavam diretamente o envio da droga para o exterior. Os valores entravam no Brasil em dólar, sem controle do Banco Central. O segundo escalão da organização era composto por pessoas que eram responsáveis pela execução das tarefas. 

Os denunciados integram uma ampla rede criminosa, com ramificações em diversos países e ligações com a máfia italiana Ndrangheta, que opera na região da Calábria. Há pelo menos outras 14 pessoas relacionadas à prática dos delitos que, no entanto, serão alvo de denúncias autônomas e específicas. Entre elas, estão compradores da droga na Europa.

Tags: envio, italiana, ligação, máfia, tráfico

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.